Haddad discute mobilidade e participação social no programa #GabineteAberto

Compartilhar

O prefeito Fernando Haddad defendeu nesta segunda-feira (15) as ações de mobilidade que estão sendo implementadas pela administração municipal como forma de inverter a matriz do transporte. Durante entrevista ao programa #GabineteAberto, o prefeito ressaltou que desde os anos 1950 a prioridade é o transporte rodoviário e individual, mas implementação das faixas exclusivas e corredores de ônibus, as ciclovias, além de investimentos na ampliação do Metrô e a Lei de Incentivo à Zona Leste devem mudar essa ordem.

“Não acho que a gente esteja fazendo uma gestão fragmentada na área da mobilidade. A Lei de Incentivo da Zona Leste é um programa de mobilidade porque, mais do que transportar pessoas, é preciso fazer com que elas fiquem perto do trabalho. Além das ciclovias, das faixas e corredores de ônibus, o Metrô nunca recebeu tanto recurso dos governos municipal e federal”, afirmou Haddad.

Durante o programa, o prefeito também defendeu o controle externo, feito pelo Tribunal de Contas do Município, interno e social da gestão pública. Como exemplo de controle interno, citou a Controladoria Geral do Município, criada no início de sua gestão, e ressaltou a revitalizou os conselhos municipais, que faz o controle social.

“Sou partidário do controle externo, do interno e do social. Nós revitalizamos todos os conselhos da cidade, o de Habitação, o de Transportes e o da Cidade”, disse o prefeito, que defendeu a realização de um planejamento participativo antes das discussões do orçamento.

O programa foi Mediado por Gustavo Vidigal e, durante quase duas horas, o prefeito respondeu a perguntas de internautas e dos jornalistas Fernanda Mena (Folha de S.Paulo), Bob Fernandes (Terra Magazine e TV Gazeta) e Eugênio Bucci.

Transmitido do Centro Cultural de São Paulo, zona sul, o #GabineteAberto tem como objetivo promover um governo mais participativo, transparente, inovador e íntegro, apresentando aos cidadãos as ações em todas as áreas da gestão – desde serviços como saúde, educação, transporte, cultura, trabalho, esporte até direitos humanos, juventude, controladoria e planejamento – com foco em transparência, participação, integridade e inovação tecnológica que definem um “governo aberto”. Antes do prefeito Fernando Haddad, secretários municipais participaram do #GabineteAberto e debateram com jornalistas e internautas os temas pertinentes a cada pasta.

Veja abaixo outros assuntos abordados pelo prefeito durante o programa.

Auditoria no transporte público
“O resultado me surpreendeu, eu pensei que a taxa de lucro das empresas fosse muito superior da que foi constatada pela Ernst & Young. O nome técnico é taxa interna de retorno, a TIR do projeto é de 15%, eu esperava bem mais e a TIR das concessões que estão sendo feitas agora é da ordem de 10, 9%. Então como essa concessão foi feita a dez anos atrás ela é muito coerente com a taxa interna de retorno dos projetos do começo da década. Eu imaginava que a taxa interna de retorno do projeto fosse bem maior, fosse acima de 20, 25%.”

Tarifa para estudante
O prefeito disse que as pessoas não sabem que quando o usuário não paga a passagem de ônibus, quem paga é o contribuinte. A questão levantada pelo prefeito é em que medida é justo o contribuinte pagar. Como ex-ministro da Educação, Haddad disse que se o transporte é parte da educação, não é razoável que o estudante pague para ir à escola.

Gestão pública
O prefeito defendeu a criação de 500 cargos de gestor público cujo trabalho será garantir a continuidade das políticas públicas criadas pela administração municipal. Segundo Haddad, é necessário que existam esses profissionais gabaritados como gestores agindo de acordo com o interesse público.

Cultura na periferia
Para o prefeito, é necessário levar para a periferia as ações que a administração está fazendo no centro expandido, como os parklets e o Centro Aberto, medidas que tem como objetivo principal fazer com que o cidadão ocupe os espaços públicos.

Sobre ser prefeito
Haddad disse que ser prefeito é uma experiência muito forte para quem quer que seja. Segundo ele, é uma vivência inesquecível participar da administração servindo ao público, e não exercendo a função como um político profissional.

Segurança pública
O prefeito defendeu a participação dos prefeitos e a sociedade na discussão sobre políticas de segurança pública. Como exemplo, citou o trabalho que a Prefeitura está tentando fazer com a Polícia Militar no programa “De Braços Abertos”, principalmente no combate ao tráfico de drogas na região central da cidade. O prefeito também se colocou a favor da reabertura do debate sobre a desmilitarização da polícia. Segundo o prefeito, não será de uma hora para a outra que isso vai acontecer, pois a tradição da Polícia Militar é antiga, mas essa discussão deve acontecer no futuro.

Transparência na administração
O prefeito disse que a administração moderna tem que ter compromisso com a transparência do governo. Segundo ele, um cidadão informado só pode ser um aliado da gestão pública.

Fonte: Prefeitura de SP - Secom

Crédito foto: Fernando Pereira/SECOM

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais