Câmara dos Vereadores deve estar inserida em temas nacionais, defende Donato

Compartilhar

A nova Mesa Diretora da Câmara Municipal de São Paulo realizou no dia 06 de janeiro, sua primeira reunião do ano, quando foi feito um balanço das atividades da Casa referente a 2014 e foram discutidas as perspectivas do legislativo para este ano.

Durante a reunião, Donato defendeu que a Câmara deve estar inserida e debater os grandes temas nacionais em 2015. “A reforma política é uma questão muito importante e que possui grande dificuldade de se construir consensos, e a Câmara de São Paulo tem uma representação partidária equivalente ao Congresso Nacional. Nós temos excelentes quadros e podemos contribuir com o debate. Não é aqui que se decide, mas podemos ajudar a dar densidade ao debate”, afirmou.

Donato destacou que a lei de uso e ocupação do solo (que deverá ser enviada pelo Executivo à Câmara até março) e a aplicação concreta do Plano Diretor na cidade são temas centrais que nortearão o trabalho dos vereadores. Ele defendeu ainda a aproximação do Legislativo com a sociedade e acredita que em março já poderá ser realizada a primeira sessão plenária fora da Casa. A intenção é realizar sessões em todas as subprefeituras da cidade.

“Nosso planejamento é para que as sessões externas comecem em março, uma sessão por semana. Dessa forma, até o final do ano todas as subprefeituras serão visitadas. Este assunto recebeu plena adesão dos vereadores e certamente terá adesão dos paulistanos também”, finalizou.

Estiveram presentes à reunião as chefias de cada setor da Câmara (Recursos Humanos, Infraestrutura, Procuradoria, Comunicação, entre outras), que prestaram contas à nova Mesa sobre os trabalhos desenvolvidos no ano passado. O procurador chefe Paulo Augusto Baccarin enfatizou, dentre outras tópicos, as vitórias jurídicas conquistadas em 2014.

“Nós derrubamos quatro liminares que tentaram derrubar, por interesses diversos, a tramitação do Plano Diretor. Além disso, conseguimos êxito com relação a ADIN (Ação Direta por Inconstitucionalidade) do projeto de lei das sacolas plásticas, e por último, a vitória na questão do IPTU, onde foi questionado o processo legislativo da Câmara e o tribunal entendeu que não houve irregularidade alguma”, destacou Baccarin.

Já o secretário de Recursos Humanos Celso Gabriel mencionou a importância de se valorizar cada vez mais o trabalho desenvolvido pelos estagiários na Câmara, inclusive aqueles considerados especiais. “Nós temos estagiários em nível superior e médio, além de 15 que são especiais, divididos em vários setores, fruto de um convênio que temos com a APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais), que nos dá toda a assistência nesta questão, e percebemos um desenvolvimento surpreendente. Nós esperamos que este trabalho continue nesta nova gestão”, pontuou.

Fonte: Câmara Municipal de SP

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais