Haddad quer economia de água em órgãos públicos

Compartilhar

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), determinou a todos os órgãos da administração direta e indireta do município que economizem pelo menos 20% de água, em relação à média de consumo de fevereiro de 2013 a janeiro de 2014. A decisão de reduzir imediatamente o consumo foi publicada nesta quarta-feira (14), no Diário Oficial da Cidade.

A medida visa garantir que a prefeitura se enquadre na norma da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) que passará a multar qualquer aumento no consumo de água no estado.

A solução encontrada pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), de multar a população pelo consumo de água foi apresentada oficialmente após a reeleição. A mudança de postura em relação ao problema de abastecimento no estado levou o tucano a admitir, na quarta-feira (14), que os paulistas estão sob racionamento de água há mais de um ano.

A ordem de Haddad, no entanto, não se aplica a hospitais e Unidades Básicas de Saúde (UBSs). Órgãos da prefeitura que consumem mensalmente 10 mil litros, ou menos, também estão isentos.

Ficará a cargo dos responsáveis por cada órgão identificar vazamentos d’água e elaborar planos para reduzir o consumo. “Os reparos necessários deverão ter prioridade no planejamento e na alocação de recursos orçamentários administrativos das unidades”, diz a publicação.

A Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras (Siurb) oferecerá equipe para dar assistência no trabalho de identificação de possíveis desperdícios.

A decisão de Haddad também veta a lavagem de calçadas e áreas externas com água da rede pública de abastecimento, “salvo se a lavagem for realizada com água de reuso”.

Desde o início da crise de abastecimento no estado, o prefeito da capital paulista sempre divergiu do governador. Enquanto Alckmin insistia em negar o problema, Haddad publicou uma carta aberta, em dezembro de 2014, e propôs um plano de contingência com 35 medidas para o enfrentamento da falta de água na capital.

Fonte: da Agência PT de Notícias

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais