Programa tira 1200 pessoas da Cracolândia

Compartilhar

O programa de Braços Abertos, implantado pelo prefeito de São Paulo (SP), Fernando Haddad, retirou da rua 1.200 das 1.500 pessoas que transitavam pela Cracolândia de São Paulo, na região entre a Alameda Cleveland com a Rua Helvetia. A ação abriga mais de 450 pessoas em sete hotéis e oferece a elas uma oportunidade de reinserção social, por meio de frentes de trabalho, capacitação técnica e renda mínima de aproximadamente R$ 450 por mês. Em troca, o participante se compromete a deixar o crack.

O programa, vale ressaltar, foi realizado sem violência, mas com educação e respeito. O resultado do sucesso é que 70% dos assistidos não voltaram a consumir a droga. Segundo Haddad, os moradores da Cracolândia mereciam ser tratados como sujeitos capazes de estabelecer um contrato com o poder público. “Desde que o poder público tenha respeito por ele”, afirmou no lançamento do programa, em maio de 2014.

Muitos dos participantes conseguiram voltar para as famílias. As crianças agora frequentam creches da rede municipal e os adolescentes a escola e os Centros para Crianças e Adolescentes (CCA). Durante um ano do programa foram realizados 54 mil atendimentos médicos e 599 odontológicos. Dezoito participantes estão cursando o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) e todos são acompanhados pela equipe da Secretaria de Assistência Social. A cada grupo de 20 pessoas, um monitor trabalha interligado com 180 servidores da prefeitura.

Em agosto de 2014, 16 pessoas foram contratadas e tiveram as carteiras de trabalho assinadas por uma empresa prestadora de serviços gerais. O salário pago foi de R$ 820, com direito a vale refeição de R$ 9,10 por dia, cesta básica de R$ 81,33 e vale transporte. Cerca de 21 participantes alcançaram autonomia para trabalhar fora do programa. Apenas 113 pessoas desistiram do programa.

Outro bom indício do programa é que caíram os registros de criminalidade na região. Em 2014, a Polícia Militar (PM) e a Guarda Civil Metropolitana registram 50% e 30% a menos de furto de carro e de pessoas, respectivamente, em relação a 2013.

Fonte: Agência PT de notícias

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais