Em SP, Lula enfatizou "PT sempre foi referência"

Compartilhar

 

A história e a importância do Partido dos Trabalhadores foram exaltados pelo ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva, em sua fala na abertura do 3º Congresso de Zonais do diretório municipal do PT em São Paulo.

Realizado na Quadra dos Bancários, na noite desta sexta-feira, o ato contou com a presença de delegados que vão debater os futuros do parido, vereadores, deputados, secretários municipais e representantes de movimentos sociais e sindicais, dentre outras autoridades públicas.

Lula começou seu discurso frisando que o Partido dos Trabalhadores tem uma história e que esses 35 anos devem ser respeitados. Em sua fala, o ex-presidente resgatou vários períodos da trajetória de criação do partido e pontuou isso ficou marcado pela venda de utopias. "A gente se criou vendendo esperança", disse.

De acordo com ele, ao longo de sua vida foi possível ter contato com os mais diversos partidos políticos do mundo e que jamais ele encontrou um tão plural quanto o PT. "Não tem nenhum partido no mundo que tenha organização tão plural, não tem nada similar ao PT no mundo", afirmou.

Lula avalia que os avanços obtidos durante os governos petistas tornaram PT e Brasil reconhecidos mundo agora. "Fizemos esse país ser motivo de orgulho no mundo. Nunca um passaporte brasileiro foi tão respeitado", lembrou. Ele também lembrou esse mesmo governo sempre pautou-se na luta para dar mais oportunidades aos menos favorecidos. "Pela primeira vez na história, os pobres não foram tratados como problema. Foram tratados como solução (...) Isso consagrou o PT e desperta magoa", exclamou.

Para o futuro, Lula avalia que o PT deve errar menos e não fazer aquilo que criticava nos outros partidos. "O PT tem que ser exemplo", disse. Segundo ele, o Partido dos Trabalhadores não nasceu para fracassar. "O nosso partido sempre foi avaliado como referência", lembrou.

Ao final de sua fala, o ex-presidente conclamou a militância à defender a presidenta e desejou coragem e disposição para a luta. Ele ressaltou que quem não acredita no PT, não acredita na capacidade de luta dos trabalhadores. "Nunca duvide da capacidade de resistência desse partido. Ninguém perde uma guerra porque perdeu um soldado (...) Nós vamos ressurgir mais forte", concluiu.

Além de Lula, o evento contou com discursos da presidenta do sindicato dos Bancários, a anfitriã do evento, Juvandia Moreira, do presidente da Central Única dos Trabalhadores, Vagner Freitas, do coordenador estadual da Central de Movimentos Populares, Raimundo Bonfim, da vereadora e líder da bancada do PT na Câmara Municipal, Juliana Cardoso, do presidente da Câmara, Antônio Donato, do presidente nacional do PT, Rui Falcão, e do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad.

No seu discurso, Rui Falcão convidou a militância para, durante o Congresso, fazer uma reflexão sobre a trajetória do Partido e debater mecanismos para o partido se reaproximar dos movimentos que sempre o apoiaram. De acordo com ele, isso é fundamental para a organização interna do PT.

Rui também afirmou que o partido, se o PL 4330 for aprovado, vai orientar a presidenta Dilma a vetar. Segundo ele, o PT jamais será omisso num debate que cerceia os direitos dos trabalhadores.

Outro a evocar a origem do partido foi o prefeito Fernando Haddad. Ele explicou que o partido se consolidou, não como um grupo de homens e mulheres que querem o poder e, sim, de uma vontade de transformar o Brasil. Segundo Haddad, o PT pertence aos mais necessitados que nunca tiveram oportunidades. "O PT é muito mais deles do que nosso. É para eles que temos que prestar conta", disse.

No final de sua fala, Haddad deu um conselho para a militância: "temos o compromisso de sair daqui trabalhando por aqueles que enxergaram na estrela do PT um horizonte de quem luta por um Brasil melhor", disse.

Ao longo do evento, o presidente do diretório municipal do PT em São Paulo, vereador Paulo Fiorilo, entregou várias homenagens a militantes históricos de base que contribuíram para a construção do partido na capital.

Fonte:  Cláudio Motta Jr |  Portal Linha Direta

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais