Haddad inaugura CEU Heliópolis

Compartilhar

 

CEU Heliópolis Professora Arlete Persoli - este é o novo nome do antigo Centro de Convivência Educativa e Cultural de Heliópolis, localizado na subprefeitura do Ipiranga, zona sul da capital. Na manhã desta quarta-feira (29), o prefeito Fernando Haddad esteve no local, onde assinou o decreto que dispôs sobre a mudança de nome da instituição. Com a medida, a cidade acaba de inaugurar seu 46º Centro de Educação Unificado.

 

"Este equipamento não foi concebido originalmente como um CEU. Ele começou [a funcionar] na gestão anterior, por liderança de vocês, que são uma referência não só para São Paulo, mas para o Brasil. O país inteiro conhece Heliópolis pela forma como escolheram fazer a luta de vocês em proveito da educação. [Vocês] abraçaram a paz e a educação como causas, e isso também é uma referência para todo o país", afirmou Haddad.

 

Localizado na Avenida Estrada das Lágrimas, 2385, em Heliópolis, o novo espaço é reconhecido pelos moradores como polo cultural e nasceu da articulação entre a Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Campos Salles, a comunidade representada pela União de Núcleos, Associações dos Moradores de Heliópolis (UNAS) e o poder público. O novo nome foi dado em homenagem à primeira gestora do polo cultural, que faleceu em 2014.

 

"A gente fica tão feliz quando a gente vem em uma comunidade como Heliópolis e percebe que aqui a comunidade tem consciência do poder da educação. Se há um instrumento que pode fazer com que a justiça social aconteça, esse instrumento é a educação. É fazer com que todas as pessoas possam aprender. Todo mundo pode aprender. Toda criança e adolescente que a gente vê aqui têm direito a um futuro. Por isso que a política educacional é tão importante.  Porque ela ajuda as pessoas a construírem a própria história", disse o secretário municipal de Educação, Gabriel Chalita.

 

A última fase de obras teve início em maio de 2013 e foi concluída no final de 2014. O complexo educativo ganhou uma biblioteca, um centro esportivo com duas quadras poliesportivas, piscinas e a Torre da Cidadania, um edifício para atividades culturais e educativas multidisciplinares, dentre as quais marcenaria, gastronomia e um telecentro. A intervenção proporcionou ainda a instalação de praças de convivência, paisagismo e adequação dos acessos, com novas rampas.

 

"O nosso CEU Heliópolis é um exemplo de política pública feita a partir do protagonismo da sociedade civil organizada, que em parceria com o poder público cria uma nova realidade de participação popular. O nosso super CEU tem [quase] 50 mil metros quadrados, dez edifícios que abrigam seis escolas, um centro cultural, uma biblioteca, a Torre da Cidadania, o complexo esportivo e três praças com wi-fi livre, já em funcionamento", destacou Marília de Santis, gestora do complexo.

 

Arquiteto responsável pelo projeto, Ruy Ohtake, também destacou o caráter cultural do espaço durante a cerimônia de inauguração. "Esta é uma gestão mais humana e voltada para a cultura. As áreas culturais não estão no programa formal da educação, mas a comunidade pediu uma biblioteca, um cinema e atividades de arte para as crianças dentro da comunidade. Isso está se transformando na identidade de Heliópolis", afirmou.

 

Também acompanharam a inauguração do 46º CEU da capital os secretários municipais Alexandre Padilha (Relações Governamentais), Fernando de Mello Franco (Desenvolvimento Urbano), Nabil Bonduki (Cultura), Nunzio Briguglio (Comunicação), Simão Pedro (Serviços), Roberto Garibe (Infraestrutura Urbana e Obras) e Celso Jatene (Esportes, Lazer e Recreação). 

 


Estrutura 
O CEU ocupa uma área de 47.799 metros quadrados e possui um centro cultural, um teatro infantil, a Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Presidente Campos Salles, que funciona em dois períodos e atende 1.023 alunos; e a Escola Municipal de Educação Infantil (EMEI) Antonio Francisco Lisboa, que atende 316 crianças. Além disso, funcionam dentro do espaço a Escola Técnica Estadual (ETEC) de Heliópolis, que oferece cursos técnicos para a comunidade (dentre os quais Nutrição e Edificações) e atende cerca de mil estudantes; e os Centros de Educação Infantil (CEIs) Heliópolis I, II e III, que, juntos, beneficiam em torno de 530 crianças de 0 a 3 anos e 11 meses.

 

O Centro Educacional Unificado Heliópolis oferece ainda Espaço Multiuso, com estrutura para receber 120 mil pessoas e que pode ser utilizado como teatro e cinema; um ginásio poliesportivo, com infraestrutura em padrões oficiais de competição, proporcionando a realização de campeonatos de futsal, vôlei, handebol e basquete.

Fonte: Prefeitura de São Paulo - Secom

 

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais