Cidade Tiradentes recebe audiência contra a redução da idade penal

Compartilhar

A Comissão de Defesa dos Direitos da Criança da Câmara Municipal, presidida pela vereadora Juliana Cardoso (PT), realizou na última segunda-feira, dia 1º de junho, no CEU Inácio Monteiro, em Cidade Tiradentes, audiência pública para debater com a população local a redução da idade penal. A Comissão de Justiça da Câmara Federal aprovou em abril a PEC 171/93 (Proposta de Emenda Constitucional) que reduz de 18 para 16 anos a maioridade penal.

A audiência contou com a presença de diversos representantes de entidades ligadas aos direitos da criança, conselheiras tutelares da região, além de estudantes adolescentes de Cidade Tiradentes. Estes exibiam cartazes com frases contra a proposta de redução e externaram suas opiniões contrárias à redução ao microfone. Também participaram da audiência o subprefeito de Cidade Tiradentes, Miguel Reis e o subprefeito de São Mateus, Fábio dos Santos.

Na abertura, o promotor de Justiça do Ministério Público de Santa Catarina, Marcelo Gomes Silva, apresentou em vídeo gravado vários argumentos contra a redução. “Dos 21 milhões de jovens brasileiros, somente 0,01% estão envolvidos em crimes violentos”, disse. “Temos um sistema carcerário que não recupera o preso. Da população carcerária, 70% são reincidentes e voltam ao crime”.

O encarceramento também foi criticado pela conselheira tutelar de Cidade Tiradentes, Kátia Regina dos Santos. “A redução da maioridade com a prisão de adolescentes vai contra o que preconiza o ECA [Estatuto da Criança e do Adolescente]”, declarou. “O Estatuto estabelece seis medidas socioeducativas para recuperar os infratores, mas elas não são aplicadas”.

Num depoimento emocionante, Flávio Andrade dos Santos, do Fórum em Defesa dos Direitos da Criança de Cidade Tiradentes, mostrou números da violência. “As maiores vítimas, 77% são de negros, pardos e periféricos e eu poderia estar nessa estatística”, afirmou sob lágrimas e aplausos. “Todas elas sobrevivem em condições de pobreza, sem atrativo na educação, sem saúde, sem assistência social e com demandas de mais de 30 anos com barracos sem energia e saneamento básico”.

Após ressaltar que a PEC 171/93 é uma cláusula pétrea, isto é, não pode ser alterada na Constituição, Valdison Pereira, do Movimento Contra a Redução da Maioridade Penal, informou os passos do movimento em Brasília. “A Câmara tem que realizar 40 audiências públicas sobre o tema e os deputados estão acelerando essa questão. Até aqui chamaram o Datena, o Amado Batista e o Marcelo Rezende nas audiências, mas ignoraram as entidades, disse. “Conseguimos com muita luta o compromisso do presidente da PEC em receber uma comissão da Frente Nacional”.

Logo após a apresentação musical da GGF Família, com letras em defesa dos direitos das crianças e adolescentes, a vereadora Juliana Cardoso explicou os desdobramentos. “Depois de fecharmos o ciclo das dez audiências, vamos com os vereadores da Comissão encaminhar toda a documentação para os deputados federais que estão cuidando da questão da redução da maioridade penal em Brasília”, disse.

Fonte: Assessoria de Imprensa Juliana Cardoso

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais