Minha Casa Minha Vida 3 terá 84 mil unidades na capital paulista

Compartilhar

Durante a entrega de 156 apartamentos do Residencial São Sebastião, na zona leste, o prefeito Fernando Haddad e o ministro das Cidades, Gilberto Kassab, anunciaram que São Paulo terá 84 mil unidades habitacionais produzidas no programa Minha Casa Minha Vida 3. O projeto, com previsão de lançamento em agosto, ainda poderá sofrer alterações.

“O prefeito me consultou e nós vamos, no mês de agosto, a presidenta Dilma vai anunciar a contratação de mais 3 milhões de unidades e com certeza, uma parte muito especial e muito expressiva dessas unidades, serão aqui na cidade de São Paulo, até porque o próprio prefeito Haddad está fazendo a lição de casa, está com os projetos e isso é importante”, declarou o ministro Kassab.

Haddad afirmou que 84 mil unidades habitacionais já estão sendo licenciadas no município. “São 84 mil famílias que poderão ter sua casa própria. É um esforço em que a prefeitura comprou terra, empresário comprou terra, e essa terra está sendo colocada à disposição da Caixa Econômica Federal”, disse o prefeito.

Atualmente, o programa Minha Casa Minha Vida possui 71 mil unidades contratadas entre as faixas salariais 1, 2 e 3 (famílias com renda mensal bruta de até R$ 5.000) e 32 mil já foram entregues na capital. No Estado, foram 503 mil contratadas e 398 mil entregues.

Durante o evento, o prefeito destacou a importância do envolvimento das três esferas de governo para a questão da habitação na cidade.

“Isso é um arranjo que depende do Ministério das Cidades, do Governo do Estado, por meio da Casa Paulista, e da Prefeitura de São Paulo, com a Secretaria de Habitação. Se não houver entendimento entre as três esferas o programa não acontece. Nós estamos fazendo um esforço grande para que mais terras sejam destinadas para que mais gente seja beneficiada com o Minha Casa Minha Vida. É isso que nós temos que acompanhar para que tenhamos uma sequência de empreendimentos, começando pelas famílias com condições mais difíceis, para depois ir para as que têm uma condição melhor”, disse Haddad.

Fonte: Prefeitura de SP - Secom

Últimos artigos

Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais
Rui Falcão: As alternativas do PT para a Previdência
segunda, 13 março 2017, 19:03
  Em meio às manifestações contra o desmonte da Previdência (e foi notável a reação das mulheres no 8 de março, dia de luta também contra o conservadorismo e a violência), abre-se agora o debate sobre qual a melhor tática... Leia Mais