Haddad é convidado para seminário no Vaticano e encontrará com o Papa

Compartilhar

 

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), foi convidado pelo Vaticano para um seminário que discutirá o comprometimento dos municípios com a escravidão moderna e mudanças climáticas. O evento acontecerá nos dias 21 e 22 de julho, na cidade romana

Na ocasião, o prefeito de São Paulo se encontrará com o Papa Francisco. Haddad será acompanhado dos prefeitos de Nova York, Roma, Rio, Turim, Oslo, Terrã, Estocolmo, Paris, Nova Orleans, Varsóvia, Cochim (Índia), Bristol (Reino Unido), Seul, Bogotá e o governador da Califórnia.

O convite da Santa Sé para alguns prefeitos do mundo visa discutir os temas das cidades e das desigualdades. “É um seminário muito importante para nós prefeitos que a Santa Fé esteja sensibilizada com a questão urbana”, destaca Haddad.

Para o prefeito, o Papa Francisco demonstra, em discursos, preocupação com temas como vida urbana, qualidade de vida, sustentabilidade, e equalização das oportunidades.

Haddad viajará para Roma no domingo (19) e voltará ao Brasil terça-feira (23). Neste período, será substituído pela vice-prefeita Nádia Campeão.

Doutor Honoris Causa – Além de Haddad, outro petista também recebeu destaque internacional nesta semana. A Universidade Católica de Louvain, na Bélgica, vai conceder o Título de Doutor Honoris Causa ao secretário de Direitos Humanos e Cidadania da prefeitura de São Paulo, Eduardo Suplicy.

O título será conferido devido à “alta postura moral e ética” do ex-senador pelo PT e também pela sua contribuição para formular o programa Renda Básica de Cidadania.

A lei, de autoria dele, determina transferência de dinheiro para garantir que os cidadãos atendam necessidades básicas, como alimentação, saúde e educação.

A cerimônia de reconhecimento vai ser realizada no dia 2 de fevereiro de 2016, na comemoração do aniversário de 500 anos da obra Utopia, de Thomas More.

Suplicy abriu mão do salário de secretário neste ano, uma vez que já recebe aposentadoria pelos 24 anos de Senado. O dinheiro de sua remuneração é doado para implementar o programa social.

Fonte: Agência PT de Notícias, com informações do G1 e Brasil Post

Últimos artigos

Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais
Rui Falcão: As alternativas do PT para a Previdência
segunda, 13 março 2017, 19:03
  Em meio às manifestações contra o desmonte da Previdência (e foi notável a reação das mulheres no 8 de março, dia de luta também contra o conservadorismo e a violência), abre-se agora o debate sobre qual a melhor tática... Leia Mais