Veja um resumo das atividades realizadas pelo PT da capital em 2015

Compartilhar

2015: Um ano intenso para o PT da capital


O ano de 2015 foi marcado por muita luta, mobilização e uma série de atividades lideradas ou partilhadas pelo PT na cidade de São Paulo. A campanha eleitoral acabou em 2014, mas o folego da militância não esmoreceu, mantendo-se ativo na defesa do partido intensamente durante todo ano.


Mantivemos uma rotina de reuniões da Executiva, com a participação de todos os setoriais, e do Diretório Municipal, com a participação dos presidentes zonais. Ao longo do ano, foram 19 reuniões da Executiva e sete reuniões de Diretório.

Realizamos reuniões do Diretório Municipal com os secretários Jilmar Tatto (Transportes), Chico Macena (Governo), Alexandre Padilha e Paulo Frateschi (Relações Governamentais), Antonio da Silva Pinto (Igualdade Racial), Eduardo Suplicy e Rogério Sotilli (Direitos Humanos), Denise Motta Dau (Mulheres); os secretários adjuntos Gustavo Vidigal e José Pivatto (Relações Governamentais), José Evaldo Gonçalo (Transporte) e Rodrigo Teixeira (Planejamento), além do presidente da Câmara, vereador Antonio Donato.


Logo no início de janeiro a JPT Sampa reuniu a Juventude, com o secretário municipal de Transporte Jilmar Tatto e com o prefeito Fernando Haddad, para dialogar sobre o Passe Livre para estudantes, o reajuste na passagem e as mudanças no transporte público.


Em fevereiro protagonizamos a comemoração dos 35 anos do PT, com um ato em defesa do PT que lotou o auditório do Sindicato dos Engenheiros e teve a presença do prefeito Fernando Haddad e do hoje secretário Eduardo Suplicy.


A preparação para o 3° Congresso dos Zonais contou com a realização de debates, distribuídos em todas as regiões da cidade. O ex-presidente Lula participou da abertura do Congresso e homenageou as lideranças históricas representando cada um dos 37 Diretórios Zonais do PT de São Paulo. Dividido em duas etapas, a resolução final do evento foi encaminhada como contribuição para o Congresso Nacional, ocorrido em Salvador no mês de junho, e serviu de base para iniciar a preparação do partido para as eleições do próximo ano.


O Ciclo de Debates sobre a organização partidária, formado por três atividades que debateram a política de finanças, a filiação partidária e o PED (Processo de Eleição Direta) aconteceu em agosto e construiu as contribuições do Diretório Municipal para o Seminário Nacional sobre o tema. A principal conquista deste evento foi a adoção do nome social nas fichas de filiação do PT, demanda do movimento LGBT.


Outro ciclo de debates ocorrido este ano foi “O modo petista de governar”. As discussões, promovidas pela parceria entre o PT da Capital e a secretaria de Relações Governamentais, começaram no mês de julho, estendendo-se até outubro. Coordenado pelo secretário de relações Governamentais da época, Alexandre Padilha (hoje secretário de Saúde do município), os eventos contaram com a participação dos secretários Chico Macena, Jilmar Tatto, Arthur Henrique, Fernando Melo; Nabil Bonduki, da secretaria Denise Motta Dau, da coordenadora do programa São Paulo Carinhosa Ana Estela Haddad, entre outros. Os debates tiveram o objetivo de dialogar com a militância do PT que está no governo sobre o programa petista para a cidade e a importância da militância partidária.


Em parceria com a Fundação Perseu Abramo, promovemos o curso de difusão de conhecimento e o projeto de apoio à comunicação dos DZs através de oficinas de redes sociais e disponibilidade da Tevê Perseu Abramo para realização de entrevistas e cobertura dos eventos.


Durante todo ano foi realizado o #PTnaRua das 12h às 13h, em frente ao Teatro Municipal, na Praça Ramos. A atividade ocorre no horário do almoço para possibilitar a participação de militantes que trabalham na região central. Entre os temas de maior destaque este ano estiveram: denúncia da falta d’água, contra o projeto de terceirização, defesa da democracia e contra o fechamento de escolas estaduais.


Outra atividade adotada pelo DM a partir de junho, por meio da parceria com o Diretório Estadual, foi o Dia Mensal de Mobilização. Nesta atividade, os deputados estaduais e federais participam de debates, atos e panfletagem promovidos pelos diretórios zonais.


Para fortalecer o partido nas regiões, a executiva municipal do PT estabeleceu uma agenda de acompanhamento das reuniões, atividades e debates dos Diretórios Zonais do PT, assegurando uma presença cotidiana e permanente dos dirigentes municipais em relação aos DZs.


No mês de setembro, a JPT Sampa realizou o 3° Congresso Municipal da Juventude do PT de São Paulo, na quadra do Sindicato dos Bancários. O evento elegeu Vitor Marques como secretário municipal da Juventude do PT e aprovou um conjunto de resoluções e moções para orientar a política da gestão.


Os setoriais também realizaram atividades durante o ano, com destaque para a Plenária do Setorial da Educação ocorrida no dia 04 de dezembro com a presença do prefeito Fernando Haddad. O evento lotou o auditório da Uninove Vergueiro, com capacidade para mais de 500 pessoas.


Em dezembro, para agilizar o processo de filiação, o PT da Capital realizou a Plenária Municipal de Filiação, com o registro de 108 novos filiados e participação de 250 pessoas. Também foi realizada a posse da nova direção da Juventude do PT-São Paulo, junto com a festa de Confraternização 2015. Com cerca de 500 pessoas, o evento ocorreu na quadra do Sindicato dos Bancários, no Centro da Cidade.


Contra o ódio e a intolerância


Após uma série de ataques às sedes do PT, a direção municipal da Capital decidiu promover atos contra o ódio e a intolerância. O partido aderiu e promoveu eventos que mostraram a força do partido e a importância da cidade no embate contra o conservadorismo. O ato “Primavera Democrática”, ocorrido no dia 26 de setembro na Praça da Sé, foi o ápice desta ação e teve grande repercussão, mostrando que mesmo em uma conjuntura difícil o PT ainda tem uma militância persistente e unida.


O objetivo principal da manifestação foi a defesa do partido contra o ódio e a intolerância. Mais de 3 mil pessoas marcaram presença no evento, que teve apresentação musical dos rappers GOG e Pamelloza, da bateria da escola de Samba Colorado do Brás e da dupla sertaneja Ivan Lobo e Vitor César.


Atividades marcam luta contra o golpismo


A percepção do avanço de uma onda conservadora na cidade de São Paulo e em boa parte do país, o PT paulistano não titubeou: uniu-se aos movimentos sociais e foi para a rua no grande ato do dia 15 de março, que tomou a Avenida Paulista de vermelho “Em defesa da democracia, contra o golpe e por mais direitos”. Mesmo debaixo de chuva forte, a militância, junto com os movimentos, prosseguiu sem hesitar da Avenida Paulista, pela Consolação até a Praça da República. Mais de 40 mil compareceram à manifestação.


O segundo grande ato contra o golpe e a favor da democracia aconteceu no dia 20 de agosto. Movimentos sociais e partidos políticos de esquerda se uniram contra a intensificação da onda golpista. Cerca de 100 mil pessoas participaram. Antes desse ato, uma série atividades foram realizadas com o mesmo objetivo de defender a democracia e a legitimidade do governo eleito pelas urnas.


O Diretório Municipal do PT-SP teve um papel de destaque na realização dos eventos. O ato em Defesa da Democracia, que aconteceu no dia 14 de julho, na Uninove Vergueiro também foi um marco da luta contra tentativa de golpe. O evento lotou o auditório da Uninove Vergueiro e contou com representação de juristas, artistas, líderes religiosos, centrais sindicais, movimentos sociais e de partidos políticos (PCO, PCdoB e PDT). A atividade resultou na criação da Frente #TodosPelaDemocracia, que realizou uma jornada de lutas, com destaque para as atividades que aconteceram em agosto, identificada como #AgostoPelaDemocracia.


A primeira manifestação aconteceu no dia 07 de agosto, com o Abraço simbólico à sede do Instituto Lula. A manifestação foi uma forma de repudiar o ódio e a intolerância que fez a sede do Instituto vítima de um ataque à bomba. Mais de mil pessoas lotaram a frente da sede e a rua, das 12 e 13h, precisou ser interditada pela CET. Além do PT da Capital, a atividade contou com a participação de militantes vindos do Rio de Janeiro e da Bahia. A deputada federal Benedita da Silva e o senador Lindbergh Farias, ambos do PT do Rio de Janeiro, e o ministro Jaques Wagner (hoje na Casa Civil) estiveram entre os militantes que participaram.


A aula magna em frente à faculdade de direito da USP no Largo São Francisco, no dia 11 de agosto, contou com a participação de juristas da OAB, professores da USP e da PUC-SP, para realizar uma aula pública sobre a importância do respeito aos valores democráticos duramente conquistados neste país. Na mesma semana, movimentos sociais fizeram o ato da panela cheia, uma Mandiocada na Praça da Sé.


Outro evento que intensificou a resistência do partido ao clima de golpe que marcava a conjuntura foi a “Jornada pela Democracia”, que aconteceu no domingo, dia 16 de agosto, também em frente à sede do Instituto Lula, mesma data que grupos contrários ao governo Dilma se reuniam na Paulista. Milhares de pessoas compareceram à Jornada, inclusive personalidades como a cartunista Laerte, além de intelectuais, parlamentares, dirigentes sindicais e do movimento social, que participaram de mesas de debate.


A série de eventos de agosto se encerrou no mês seguinte, em 1° de setembro com a inauguração do Memorial da Democracia, no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC.


Mais mobilizações


A executiva do PT da capital esteve sempre presente agregando as lutas dos movimentos sindicais, sociais e populares. Agosto se encerrou, mas as atividades do Fórum dos Movimentos Populares e da Frente Brasil Popular permaneceram contando sempre com a mobilização do partido. A luta em defesa da água e contra o fechamento de escolas impostas pelo governador Geraldo Alckmin também fizeram parte da agenda de atividades e mobilizações da militância durante o ano de 2015.


Propostas para 2016


Sabemos que 2015 foi um ano muito intenso. De momentos difíceis e muito perversos para a militância do PT e todas e todos aqueles que acreditam nos valores democráticos como princípios. Mas também de muita resistência e superação, porque sabemos que o que move essa militância aguerrida e destemida é a certeza de que, entre tropeços e dificuldades, nossa convicção na justiça, na solidariedade e na tolerância nos mantém em pé, de punho em riste, estrela vermelha no peito e gritando, mesmo com a voz rouca, em alto e bom som, a defesa de uma agenda moderna e progressista para a cidade e o País, contra o desgoverno dos tucanos no estado.


E como nossa luta é constante e não podemos cochilar, apontamos alguns desafios e sugerimos algumas atividades que o Diretório Municipal do PT de São Paulo deve priorizar em 2016:


· Fortalecer e animar a organização dos Diretórios Zonais;
· Estimular e construir, junto com os setoriais, um calendário permanente de atividades temáticas ao longo do ano;
· Estreitar ainda mais a relação do PT com os Movimentos Sociais;
· Retomar as atividades com a frente #TodosPelaDemocracia;
· Realizar de plenárias regionais de Prestação de Contas com a presença do prefeito Fernando Haddad;
· Intensificar a política de finanças e arrecadação financeira do PT;
· Construir ações locais de boas-vindas para novos filiados e novas filiadas, intensificando ações de validação dessas filiações;
· Realizar atividade em defesa do PT na celebração dos 36 anos do partido, em fevereiro 2016;
· Realizar um seminário sobre gestão democrática, ainda nos marcos do aniversário do PT, buscando parceria com as fundações Perseu Abramo e a Friedrich Ebert, para atualizar o programa partidário na cidade.

 

Veja algumas fotos das atividades

 

Congresso da Juventude do PT-SP

 

 

Ato em defesa da democracia 

 

3 Congresso das Direções Zonais

 

Plenária Novos Filiados

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais