Haddad entrega Medalha 25 de Janeiro e empossa Conselho Participativo

Compartilhar

 

Três profissionais talentosos que contribuíram para história de São Paulo foram homenageados nesta segunda-feira (25), durante as comemorações dos 462 anos da cidade. A cantora e compositora Leci Brandão, a escritora Lygia Fagundes Telles e o desenhista e cartunista Mauricio de Sousa receberam do prefeito Fernando Haddad a Medalha 25 de Janeiro, em cerimônia realizada no Palácio das Convenções do Anhembi.


No mesmo local, aconteceu também a posse dos conselheiros municipais, eleitos para o biênio 2016-2017 com o dever de fiscalizar e acompanhar as ações das 32 subprefeituras da capital.


“Hoje estamos homenageando pessoas ilustres de nossa cidade. Nem todos nasceram aqui, mas escolheram São Paulo para viver. Isso é tão mais importante do que ter nascido aqui porque, como diz o jargão popular, essa é a cidade dos mil povos, que acolhe gente do mundo inteiro”, disse Haddad ao entregar a honraria para os três agraciados.


A Medalha 25 de Janeiro foi instituída em 2009 e é concedida anualmente para pessoas físicas e jurídicas nacionais e estrangeiras reconhecidas pelo município de São Paulo. A homenagem é voltada aos que prestaram bons serviços à cidade ou que mereçam destaque especial em suas áreas de atuação.


“São Paulo homenageia seus filhos mais ilustres, porque é um gesto importante, sobretudo em uma época em que é imperativo resgatar valores”, ressaltou o prefeito.


Nascido em Santa Isabel (SP) e com a carreira iniciada em Mogi das Cruzes, Mauricio de Sousa se mudou para a capital em meados de 1950, para desenvolver o ofício de desenhista.


“Eu agradeço a São Paulo e as possibilidades que se abriram na cidade e a todos que leem os gibis da Turma da Mônica”, afirmou o cartunista, que completou 80 anos em 2015.


Ele afirmou que ainda tem muito trabalho pela frente, que, se não for realizado por ele, terá continuidade com sua equipe e com seus dez filhos, que foram a fonte de inspiração para criar a Turma da Mônica. A filha Mônica Spada e Sousa, que inspirou a personagem mais famosa da trupe, acompanhou o pai na cerimônia.


“Fazer parte dessa homenagem com Lygia Fagundes Telles e Maurício de Sousa enriquece meu currículo e me faz pensar sobre tudo o que a cidade de São Paulo me proporcionou”, afirmou Leci Brandão ao receber a medalha.


Ela lembrou da boa acolhida que recebeu do público paulistano em toda a carreira e enumerou lugares onde se apresentou, incluindo o Theatro Municipal e favelas da cidade, além de seus hábitos preferidos na capital. “Faço compras no Brás e na José Paulino, gosto da Praça da República e de comer sanduíche de carne louca e de pernil na porta dos ensaios das escolas de samba”, contou a cantora, que agradeceu à destacou também a importância do Conselho Participativo Municipal para a representatividade da diversidade da população.


Muito emocionada, Lygia Fagundes Telles afirmou que agradecia a Medalha 25 de Janeiro “com o coração na mão”. Ela recitou para o público uma poesia de Carlos Drummond de Andrade, que foi um de seus melhores amigos e uma das pessoas que a estimularam a publicar seus escritos. “Jovens, não desistam dos seus sonhos. Sigam adiante como eu, que não desisti”, concluiu a escritora.

 

Posse do Conselho Participativo
A cerimônia no Anhembi também marcou a posse dos 1.113 eleitos para o segundo mandato do Conselho Participativo Municipal, no biênio 2016-2017. O colegiado é um organismo autônomo da sociedade civil, reconhecido pela Prefeitura como instância de representação popular de cada uma das 32 subprefeituras da cidade.


“Temos grande expectativa em relação ao Conselho Participativo, sobretudo neste momento. Enviamos para a Câmara um projeto de lei que vai exigir de todos nós, mas sobretudo de vocês, uma reflexão junto aos vereados”, disse o prefeito Haddad, se referindo à proposta para a eleição direta dos subprefeitos da cidade. Ele afirmou que os conselheiros vão levar esse tema para debate junto às comunidades de seus bairros. 


Os novos conselheiros foram escolhidos em 6 de dezembro, em um pleito que contou com a participação de 42 mil eleitores paulistanos. Com mandato de dois anos, os conselheiros eleitos terão a missão de fiscalizar e acompanhar as ações e gastos públicos de cada subprefeitura e das secretarias municipais e também apresentar as demandas, necessidades e prioridades da população na área de sua abrangência.


“Esse grupo de conselheiros que acabou de ser eleito é muito bem informado sobre a cidade, entende sobre orçamento e como a administração pública se desenvolve”, afirmou o secretário municipal, José Américo (Relações Governamentais).


Este segundo biênio do Conselho Participativo Municipal terá a participação de, no mínimo, 50% de mulheres em sua composição, garantida por lei sancionada pelo prefeito Fernando Haddad.


Os imigrantes também terão 35 cadeiras, garantidas em 29 subprefeituras que contam com uma parcela representativa dessa população dentro de seus habitantes.


Durante a cerimônia, Haddad homenageou alguns conselheiros que se destacaram durante as eleições: Oswaldo Daud (homens mais idoso), Lealdina Darauma da Silva (mulher mais idosa), Makasuel Jose Costa (homem mais votado), Priscila Santos de Lima (mulher mais votada), Ingrid da Silva de Souza (mulher mais nova), Peterson Xavier Prates (homem mais novo), Mauro de Jesus Tordoya Marin e Louse Edimo Nkengue (imigrantes).


Homenageado com a Medalha 25 de Janeiro Mauricio de Sousa Aos 80 anos, Mauricio de Sousa, criador da Turma da Mônica, é um dos cartunistas mais famosos do Brasil e membro da Academia Paulista de Letras. Seus personagens, como Mônica, Cebolinha e Magali, formaram gerações de leitores no país e hoje são conhecidos internacionalmente.


O cartunista nasceu em Santa Isabel (SP), numa família de poetas e contadores de história. Ele começou a carreira de desenhista quando era adolescente. Iniciou produzindo ilustrações para jornais da cidade de Mogi das Cruzes, onde morou durante alguns anos.


Em meados de 1950 mudou-se para São Paulo em busca de oportunidades para desenvolver a arte de desenhista. Acabou conseguindo uma vaga de repórter policial no jornal “Folha da Manhã” onde chamou a atenção em uma tira com uma historinha dos personagens Bidu e Franjinha.


Aos poucos, seus quadrinhos ganharam as páginas de jornais. Os personagens já foram adaptados para o cinema, a televisão, o teatro e o videogame, e utilizados também em muitas campanhas sociais no Brasil.

 

Leci Brandão
Nascida no Rio de Janeiro, a cantora e compositora Leci Brandão, de 71 anos, é umas das mais importantes intérpretes de samba da música popular brasileira. Começou sua carreira musical no início da década de 1970, tornando-se a primeira mulher a participar da ala de compositores da Escola de Samba Mangueira, do Rio de Janeiro.



Ao longo de sua carreira, Leci gravou 23 álbuns e dois DVDs. Além de se dedicar à carreira musical, ela é integrante do Conselho Nacional de Promoção da Igualdade Racial e do Conselho Nacional dos Direitos da Mulher. Em fevereiro de 2010, filiou-se ao PCdoB e se candidatou ao cargo de deputada estadual. Eleita, se tornou a segunda mulher negra a fazer parte do parlamento de São Paulo.

 

Lygia Fagundes Teles
Aos 92 anos, a escritora Lygia Fagundes Telles, romancista e contista, é a grande representante do pós-modernismo. Ela é membro da Academia Paulista de Letras, da Academia Brasileira de Letras e da Academia de Ciências de Lisboa.



Nascida em São Paulo, Lygia começou a se interessar por literatura na adolescência. Com 15 anos, publicou seu primeiro livro, "Porão e Sobrado". Formou-se em Direito e Educação Física, na Universidade de São Paulo, mas seu interesse maior era mesmo a literatura.


O estilo de Lygia Fagundes Telles é caracterizado por representar o universo urbano e por explorar de forma intimista a psicologia feminina. Seus livros foram publicados na Europa, Estados Unidos e alguns foram adaptados para o cinema e teatro.

 

Eleição dos Conselheiros Participativos

As eleições para o Conselho Participativo Municipal da cidade de São Paulo foram realizadas no domingo (06/12). Foram 154 postos de votação distribuídos pelas 32 subprefeituras. A votação para representantes dos imigrantes foi realizada na sede de cada Subprefeitura.

Mais de 42 mil eleitores participaram do processo de escolha dos novos conselheiros. Foram computados, no total, 205.020 votos (138.598 válidos, 52.600 brancos, 13.822 nulos). Nas eleições para as cadeiras de conselheiro imigrante foram 1.089 votos (1.073 válidos, 7 brancos, 9 nulos).

 

RESULTADO FINAL

Confira aqui os conselheiros eleitos por Subprefeitura e Distrito. 

Confira aqui os conselheiros imigrantes eleitos por Subprefeitura. 

Clique aqui para conferir o resultado final por candidato.

Clique aqui para conferir o resultado final por candidato imigrante. 

Fonte: Prefeitura de SP - Secom

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais