Corte do Carnaval de São Paulo recebe a chave da cidade

Compartilhar

 

O prefeito Fernando Haddad entregou na tarde desta quarta-feira (27) a chave da cidade à Corte do Carnaval 2016. A cerimônia foi realizada na sede da Prefeitura, no centro. O ato simbólico tornou-se tradição na capital paulista e representa o “reinado de Momo” durante os dias de folia em São Paulo. O evento marca ainda o início oficial das celebrações do Carnaval na cidade.

Os integrantes da Corte representam a folia paulistana durante eventos oficiais e nos desfiles do Pré-Carnaval. Eles também participam da abertura de apresentações das escolas no Sambódromo do Anhembi.

O Rei Momo deste ano é o empresário Ricardo Cardoso de Lima, de 35 anos e 131 quilos, escolhido durante evento realizado em dezembro, no Anhembi. Já a Rainha eleita é a esteticista Verônica Bolani, de 24 anos e 1,68m de altura.

Também foram eleitas duas princesas. A primeira é a dançarina e professora Tarine dos Santos Lopes (25 anos e 1,68m), e a segunda é a bailarina Daniela de Jesus Santana Silva (25 anos e 1,73m).

O grupo ainda composto pelo Cidadão Samba, Gilson Nunes Vitório, 69, baiano de Ilhéus, e pela Cidadã Samba, Romilda Simões, 85, paulistana do Bom Retiro. Ambos foram escolhidos pela União das Escolas de Samba Paulistanas (Uesp).

O secretário municipal para Assuntos de Turismo, Salvador Zimbaldi, e o presidente da São Paulo Turismo (SPTuris), Alcino Rocha, também participaram da entrega simbólica.

Desfile das escolas de samba
As escolas de samba do Grupo Especial desfilam pela pista do Sambódromo do Anhembi nas noite de sexta-feira (05/02) e sábado (06/02). No domingo (07/02), é a vez das Escolas do Grupo de Acesso apresentarem seu espetáculo.

Na segunda-feira (08/02), a festa no Sambódromo continua com a apresentação das Escolas de Samba do Grupo 1, coordenadas pela Uesp. Confira abaixo a programação:

Grupo Especial - 1ª noite - 5 de fevereiro de 2016

23h15 - Pérola Negra
00h20 - Unidos de Vila Maria
01h25 - Águia de Ouro
02h30 - Rosas de Ouro
03h35 - Nenê de Vila Matilde
04h40 - Gaviões da Fiel
05h45 - Acadêmicos do Tatuapé

Grupo Especial - 2ª noite - 6 de fevereiro de 2016

22h35 - Unidos do Peruche
23h35 - Império de Casa Verde
00h40 - Acadêmicos do Tucuruvi
01h45 - Mocidade Alegre
02h50 - Vai-Vai
03h55 - Dragões da Real
05h - X-9 Paulistana

Grupo de Acesso - 7 de fevereiro de 2016

21h - Barroca Zona Sul
22h - Tom Maior
23h - Colorado do Brás
00h - Morro da Casa Verde
01h - Camisa Verde e Branco
02h - Mancha Verde
03h - Imperador do Ipiranga
04h - Leandro de Itaquera
05h - Independente Tricolor

Pré-Carnaval

Para o esquenta da folia, nos dias 30 e 31 de janeiro, a Associação das Bandas, Blocos e Cordões Carnavalescos de São Paulo (ABBC) organiza o Pré-Carnaval Oficial da Cidade de São Paulo. Neste ano, o 26° desfile de Escolas de Samba e Blocos Carnavalescos contará com 18 agremiações e 10 mil pessoas.

No percurso entre a Estação da Luz e o Jardim da Luz, a festa começa com o Afoxé Omo Odé, um cortejo de rua que mescla Carnaval e religião. No sábado, ainda haverá um bloco exclusivamente composto por estudantes universitários, o Balatubloco. O Bloco dos Partideiros do Maria Zélia encerra a folia.

No segundo dia, o encerramento fica por conta de uma roda de samba aberta a todo público, com Douglinhas da Vila Maria, Negreti Fino Trato, Marcão MP Brasil e Clube do Pagodão.

Já a Associação de Bandas Carnavalescas de São Paulo (Abasp) começa sua festa no dia 29, com a Banda Butantã. No dia 3 de fevereiro, a tradicional Banda do Candinho desfila pelo centro, e o bloco do Esfarrapado, o último da Abasp que vai para as ruas no dia 8.

Os blocos de rua cadastrados pela Secretaria Municipal de Cultura animam a capital entre 29 de janeiro e 14 de fevereiro. Ao todo, 355 blocos estarão nas ruas para festejar o Carnaval, em uma programação que vem ganhando força ano a ano.

Turismo no Carnaval

O Carnaval paulistano é uma festa popular que, além de fazer parte da cultura do país e da cidade, gera muitos empregos, renda e turismo para São Paulo. Além do grande espetáculo no Sambódromo, o Carnaval de rua vem atraindo cada vez mais adeptos, levando lazer gratuito a toda a população, em todas as regiões do município.

Pesquisa realizada pela SPTuris, por meio do Observatório de Turismo e Eventos, estima que o Carnaval em São Paulo movimente mais de R$ 278,6 milhões somente com os gastos de turistas e paulistanos na cidade durante a folia.

O estudo, realizado no Sambódromo em 2015 mostrou que a presença de turistas nacionais cresceu em 22% em relação a 2014, enquanto o número de visitantes de outros países subiu 73% em comparação ao ano anterior, com vinda principalmente de norte-americanos, ingleses, colombianos e japoneses.

Em 2015, o gasto médio dos turistas cresceu 9,2% em relação a 2014. Operfil do público, apesar de permanecer predominantemente feminino, registrou crescimento na presença masculina, aumentando em 47,3% na comparação com os dados dos últimos três anos.

Embora as pessoas com idade entre 30 e 39 anos continuem sendo a maioria dos que assistem ao desfile, o número de visitantes de 40 e 49 anos aumentou 12%, em relação a 2014.

Também cresceu em 21,3% o número de pessoas que estiveram pela primeira vez no Sambódromo, em relação a 2014. A organização foi bem avaliada por 76% dos entrevistados, que afirmaram melhora em relação aos anos anteriores.

Segundo o Censo do Samba Paulistano de 2014, o Carnaval gera cerca de 5,4 mil empregos nas agremiações, e mais 4,7 mil pessoas trabalham na organização e realização do evento.

Análise do Carnaval de Rua 2015

A pesquisa com os participantes de blocos de rua foi realizada pela primeira vez em 2015 e apontou que os paulistanos representam a maioria (78%) do público. Os turistas nacionais e estrangeiros somaram cerca de 22%. Entre os de outros países, a maioria veio da Alemanha, Espanha e Argentina.

A predominância, neste evento, é do gênero masculino, com 53,1% dos foliões, e do público jovem. A faixa etária de 24 a 29 anos representa 37,9% do público, e a de 30 a 39 anos somou 31,5%.

Além disso, 42% dos participantes optaram por ficar na cidade durante a folia só para curtir a programação. Quem pula o Carnaval de Rua fica na capital em média 3,8 dias e gasta em torno de R$ 619 no período.

A organização do Carnaval de Rua foi bem avaliada por mais de 91% dos entrevistados, que afirmaram estar melhor do que em anos anteriores. Cerca de 90% das pessoas aprovaram o esquema de segurança, e 86% dos entrevistados afirmaram que as ruas estavam limpas para a passagem dos blocos.

Um dado de destaque é que 100% dos entrevistados afirmaram que a Prefeitura deve continuar fazendo o Carnaval de Rua.

O monitoramento nas principais redes sociais, com quase 18 mil postagens feitas entre os dias 7 e 16 de fevereiro, mostrou que 89,4% das mensagens foram positivas ou neutras.

A audiência direta e indireta do total de mensagens analisadas chega a 9,3 milhões de usuários das plataformas sociais.

Fonte: Portal Prefeitura de SP

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais