Para site internacional, São Paulo tem o melhor plano para transporte individual

Compartilhar

 

 

A proposta da Prefeitura de São Paulo para regular o transporte individual remunerado na capital recebeu novo elogio, desta vez do site CityLab, do mesmo grupo editorial da revista The Atlantic (EUA). No início desta semana, o Banco Mundial afirmou que o modelo pode servir de referência para outras metrópoles e que se destaca por equilibrar abertura para inovação e defesa dos interesses dos cidadãos.

 

A Prefeitura encerrou na última quarta-feira (27) uma consulta pública, pela qual recebeu cerca de seis mil contribuições e sugestões para redação de nova lei municipal com regras para os serviços. O objetivo do Decreto de Regulação da Exploração Econômica do Uso Intensivo do Viário Urbano é promover um debate aberto sobre o tema e compatibilizar as novas tecnologias com a legislação de táxi da cidade.

 

Segundo o site americano, a proposta de São Paulo de oferecer crédito e cobrar as empresas de aplicativos por quilometragem é simples e protege os interesses do usuário, pois tem mecanismos para recompensar motoristas que operam fora do horário de pico ou em bairros mais distantes. O novo sistema também prevê que as empresas forneçam os dados dos deslocamentos em tempo real por meio do uso de tecnologia, o que garante planejamento mais eficiente e monitoramento do serviço.

 

A matéria traz aspas do especialista David King, da Universidade Columbia, em Nova York, dizendo que o conceito de São Paulo é a maneira mais inteligente para as cidades lidarem com empresas e aplicativos de transporte individual remunerado. "Como em um leilão, o motorista deve equilibrar a oferta e a demanda, o que é muito mais benéfico para a cidade em geral", explica. "A cidade [poder público] ainda é responsável pelas ruas. Sem dados sobre como elas estão sendo usadas, é impossível fazer essa gestão", finaliza King.

 

No Brasil, o modelo tem sido bem recebido por especialistas. Os economistas Marcos Lisboa, Bernardo Guimarães, Helcio Takeshi, Luiz Alberto Esteves e Samuel Pessôa destacaram a ousadia da medida durante o seminário “Economia Compartilhada e Gestão de Transportes”, realizado na Fundação Getúlio Vargas (FGV), na quinta-feira (28). “Essa regulação é particularmente importante para as pessoas que usam intensamente as ruas. Temos aqui em São Paulo um instrumento que é absolutamente inovador e permite regular com menos interferência”, declarou Bernardo Guimarães, a Escola de Economia da FGV.

 

Fonte: Prefeitura de SP - Secom

Últimos artigos

Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais
Rui Falcão: As alternativas do PT para a Previdência
segunda, 13 março 2017, 19:03
  Em meio às manifestações contra o desmonte da Previdência (e foi notável a reação das mulheres no 8 de março, dia de luta também contra o conservadorismo e a violência), abre-se agora o debate sobre qual a melhor tática... Leia Mais