Haddad faz defesa da democracia e das ações de sua gestão durante plenária em São Miguel

Compartilhar

 

A defesa da democracia e do legado das gestões petistas teve destaque na Caravana do PT com Haddad que aconteceu neste sábado (19/03) na sede da Associação Cultural e Desportiva Nikkei de São Miguel Paulista, localizada na Praça São João Cortes, antiga Praça da Paz.

Além de divulgar as ações da gestão Haddad na cidade e nas regiões, a Caravana do PT tem como objetivo também alertar a militância sobre a necessidade da defesa da democracia e de enfrentar a onda conservadora.

Sobre as ações da gestão na cidade, Haddad destacou que a Prefeitura está levando a melhor iluminação pública do mundo para periferia, um dos bairros que está sendo implementado a iluminação de LED é Lajeado no Itaim Paulista.  De acordo com ele, a gestão está investindo tanto em iluminação, porque o governo do estado não investe em segurança pública.

Haddad fez um resumo das ações na cidade por área, de acordo com ele na habitação foi investido R$ 750 milhões em terra e compra de prédios abandonados no centro. “Para a população parece que não fizemos nada, mas a parte mais difícil é essa de aquisição de áreas para implantação das moradias”, afirma ele que complementou “Na área de direitos humanos, nossos projetos são vitrine para o mundo, com o programa de Braços Abertos, 53 % dos usuários que frequentavam a região da Cracolândia reataram com a família e 88% diminuiu o consumo de craque. Nós dobramos o orçamento para área da cultura, entregamos 3  teatros reformados para cidade e estamos devolvendo os planetários que estavam fechados. Aprovamos um Plano Diretor que é um dos mais avançados do mundo. Não tem uma secretaria que não tenha inovado muito além do que prometemos na campanha eleitoral. Temos que defender nossa administração nos isolando do clima de ódio e intolerância. precisamos ter clareza do que significamos para a cidade”, concluiu Haddad.

Além dos presidentes dos diretórios zonais Amauri Teixeira de São Miguel, Arnóbio da Silva de Ermelino Matarazzo, Dimas Nascimento da Penha; compareceram os secretários Eduardo Suplicy de Direitos Humanos, Simão Pedro de Serviços, Arthur Henrique do Trabalho e Empreendedorismo, José Américo de Relações Governamentais; os parlamentares Carlos Zarattini, Nilton Tatto, Márcia Lia, Zico Prado, Jair Tatto, Vavá, Senival Moura; os subprefeitos de São Miguel Tim Maia, a chefe de gabinete de São Miguel Célia Assumpção, o subprefeito de Sapopemba Nereu Amaral.

Também participaram da plenária os membros da executiva municipal Francisco Carvalho, Luciano Barbosa, Cleuza Garcia, Luiz Roque e da executiva estadual Aparecido Luiz da Silva “Cidão”.

Defesa da Democracia

Sobre a conjuntura atual, Haddad ressaltou que aconteceu algo em junho de 2013 para cá que desorganizou a agenda política de avanços no país. “Os políticos estão perdendo o prestígio. Até nossos adversários foram expulsos da manifestação que eles chamaram, no dia 13 de março. Na ausência da política e da democracia as soluções são sempre piores”, disse ele.

De acordo com o prefeito existem muitas formas de corrupção. “Abuso de poder e ter lado na justiça também é corrupção. A justiça não pode ter lado. O caráter de uma pessoa diz respeito ao respeito das regras. Eu não desejo para o PSDB o que a justiça tem feito com o PT”, disse ele que complementou: “Você pode ser crítico, mas não pode violar a constituição, você não pode coagir uma pessoa porque você não gosta dela. Os pobres da periferia também têm que exigir o cumprimento de regra”.

PT x PSDB

Haddad apresentou questionamentos sobre a atuação dos tucanos no estado e comparou as ações de mais de 20 anos do PSDB no estado com os 3 anos da gestão petista na cidade. “Quando que o governo do estado fez hospital na cidade? E é obrigação do estado. Nós estamos implantado três hospitais, estamos cobrindo um governo ineficiente. Esse candidato do Alckmin disse que São Paulo precisa acelerar. As obras do PSDB para o metro andam mais devagar do que uma lesma”.

O prefeito também questionou comparando “Qual sistema avançou mais na cidade, o de trilho que é do estado ou o de pneus que é do município? A nossa escola pública é muito melhor, não tem nem comparação; Eles judiam tanto das escolas estaduais que querem fechar, enquanto nós estamos criando novas escolas”, disse ele.

De acordo com Haddad eles só dizem que não vão fazer, e quando dizem algo que vão fazer é uma tragédia. Eles querem vender o que é publico para os amigos deles e nós vamos deixar? Tucano não pode ver nada público que quer vender, para eles tudo é privado.

Demandas da região

Entre as demandas ressaltadas nas intervenções dos participantes da plenária estava a ocupação da Praça do Forró em São Miguel Paulista com projeto de apresentação de artistas e cultura nordestina.

O militante Francisco de Assis, filiado da região de Ermelino Matarazzo, falou sobre os avanços da gestão na região como a implantação Hospital Dia em Ermelino Matarazzo e a duplicação da Abel Tavares. Ele também lembrou da importância do fortalecimento do Conselho Participativo. Outra demanda da região lembrada na plenária foi o andamento dado por Haddad para a solicitação do título de posse aos moradores da Vila Albertina.

 

Últimos artigos

Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais
Rui Falcão: As alternativas do PT para a Previdência
segunda, 13 março 2017, 19:03
  Em meio às manifestações contra o desmonte da Previdência (e foi notável a reação das mulheres no 8 de março, dia de luta também contra o conservadorismo e a violência), abre-se agora o debate sobre qual a melhor tática... Leia Mais