São Paulo tem queda histórica no número de mortes no trânsito

Compartilhar

 

Um estudo produzido pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) apontou uma queda de 20,6% no número de mortes no trânsito na cidade de São Paulo em 2015. Segundo o levatamento, 257 mortes foram evitadas no último ano, na comparação com o ano anterior.

O número de mortes, 992 no ano passado, foi o menor desde o início da série histórica registrada pela CET, em 1979. Em 2014, foram 1.249. Além disso, a queda foi a maior desde 1998, quando foi implantando o novo Código Brasileiro de Trânsito.

Em entrevista ao jornal “Folha de S.Paulo” nesta terça-feira (22), o diretor de planejamento, projetos e educação da CET, Tadeu Leite Duarte, atribui a queda histórica à redução dos limites de velocidade, e do aumento da fiscalização, implantadas pela gestão de Fernando Haddad na Prefeitura de São Paulo, por meio do Programa de Proteção à Vida (PPV).

A taxa de mortes no trânsito caiu de 10,47 mortes para 8,26 por 100 mil habitantes. O número se aproxima da meta da capital para a Década de Segurança Viária da Organização das Nações Unidas (ONU), de 6 mortes a 100 mil habitantes até 2020.

Considerando apenas o mês de dezembro dos dois anos, as mortes diminuíram 11,1%, com 88 casos em 2015, ante 99 em 2014.

Em todo o Brasil, o índice é de 23,40; no Estado de São Paulo, é de 17,40 e, na Região Metropolitana (RMSP), a taxa é de 19,40 mortes por 100 mil habitantes.

O Programa de Proteção à Vida, iniciado em 2013, no começo da atual gestão, busca a redução de acidentes e atropelamentos na cidade. Entre as ações, está a implantação de Áreas 40 – onde a velocidade máxima é de 40 km/h – , de bolsões de parada junto aos semáforos para motociclistas e bicicletas, de faixas de pedestres diagonais em cruzamentos de grande movimento e da redução de velocidade máxima para o padrão de 50 km/h nas vias arteriais. Também foram revitalizados os semáforos de 4.645 cruzamentos na cidade.


Ciclistas e motocicilistas
Em relação aos ciclistas, o estudo apontou queda de 34% no número de mortes, na comparação de janeiro a dezembro de 2014 com o mesmo período do ano passado. Nos 12 meses de 2015 foram registradas 31 mortes, ante 47 casos fatais em 2014.

As mortes de motociclistas em acidentes registraram queda de 15,9% na comparação entre os 12 meses de 2014 e o mesmo período do ano passado. A redução foi de 440 casos para 370. No mesmo período de 2013, foram 403 casos.

Pedestres e motoristas
O estudo ainda constatou uma redução de 24,5% no número de mortes de pedestres, que passou de 555 óbitos de janeiro a dezembro de 2014 para 419 casos no mesmo período do ano passado. As ocorrências fatais envolvendo motoristas e passageiros também tiveram queda, de 16,9%. Foram 172 mortes em 2015, ante 207 casos em 2014.

Fonte: Agência PT de Notícias

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais