Zona Leste ganha primeiro CAPS Infantojuvenil III em São Miguel

Compartilhar

 


A Prefeitura inaugura, nesta quarta-feira (30), na zona Leste, a primeira unidade do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) Infantojuvenil III. Para ampliar a oferta de atendimento, a Secretaria Municipal da Saúde reclassificou o CAPS Infantojuvenil II em CAPS Infantojuvenil III. A medida possibilitará atender diariamente crianças e adolescentes até os 18 anos de idade. Inclui ainda seis camas para acolhimento noturno, quando o caso em tratamento demandar acompanhamento mais próximo da equipe.

Por ser CAPS Infanto-juvenil III, a unidade funcionarão 24 horas e em novo endereço. O CAPS Infantojuvenil II funcionava na Rua Miguel de Oliveira. Já o CAPS Infantojuvenil III, ainda em São Miguel, passará a atender num prédio mais amplo, na Rua Arlindo Miragaia, 40.

O CAPS Infantojuvenil III é um serviço de saúde mental de porta aberta, destinado a crianças e adolescentes com até 18 anos, usuários de substâncias psicoativas, com sofrimentos mentais graves, psicoses, autismo e alterações de comportamento importantes.

Em razão de o equipamento possuir hospitalidade noturna, a equipe do novo CAPS foi ampliada. Conta com cerca de 50 profissionais, entre médicos e equipe multiprofissional e administrativo. A equipe multiprofissional é composta por três médicos psiquiatras, um neurologista, quatro psicólogos, sete enfermeiros, doze técnicos de enfermagem, duas terapeutas ocupacionais, uma fonoaudióloga, uma psicopedagoga, duas assistentes sociais, duas farmacêuticas, um técnico de farmácia, um educador físico, um auxiliar administrativo e uma gerente.

Espaço acolhedor

A ambiência do CAPS Infantojuvenil III está vinculado ao conceito da desospitalização. É um espaço acolhedor, arejado, acessível e lúdico. Logo na entrada, entre árvores que foram mantidas entre grandes canteiros, há uma espécie de coreto multicolorido. Nele será implantado um espaço sonoro, para estimular as crianças e adolescentes com musicoterapia. Há ainda um espaço de espera lúdico, com brinquedos e jogos interativos, quadra coberta e espaço para horta comunitária.

No piso térreo, as pessoas poderão usufruir de um espaço de convivência arejado, com três quartos confortáveis e decorados. No piso superior, que tem acesso por rampa, ficam as salas de atendimento individuais. O equipamento conta ainda com recepção, cozinha, refeitório, nove banheiros, espaço administrativo e de farmácia. O serviço é um equipamento do SUS da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) da Prefeitura de São Paulo, em parceria com Organização Social de Saúde Casa de Isabel. Foi implantado a um custo de R$ 240 mil, com custeio mensal de R$ 394,60 mil.

Serviço aberto e comunitário

O Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) Infantojuvenil III é um serviço de saúde aberto e comunitário do Sistema Único de Saúde (SUS). Foi criado para ser substitutivo às internações em hospitais psiquiátricos. O cuidado é desenvolvido por intermédio de Projeto Terapêutico Singular, envolvendo em sua construção a equipe, o usuário e sua família. O CAPS Infantojuvenil III, com acolhimento noturno, incrementa a possibilidade de intervir de forma contínua e em constante articulação com a rede territorial de proteção à infância e à adolescência em momentos onde a exposição a situações de vulnerabilidade, crise psíquica ou impasses no desenvolvimento demandem recursos de apoio, cuidado e proteção em tempo integral, alinhados sempre com a garantia de direitos.

Os atendimentos são: acolhimento inicial, acolhimento diurno com retaguarda noturna, atendimento individual, oficinas, atenção às situações de crise, atendimento em grupo, práticas corporais, práticas expressivas e comunicativas, atendimento para a família e ações de reabilitação psicossocial, promoção de contratualidade, fortalecimento do protagonismo de usuários e familiares, ações de articulação de redes intra e intersetoriais, matriciamento de equipes dos pontos de atenção da atenção básica, urgência e emergência e dos serviços hospitalares de referência e todas as ações de redução de danos.

Rede de Atenção Psicossocial na Leste

Existem no território da Coordenadoria Regional de Saúde Leste (CRS Leste) 27 equipamentos de saúde mental, com equipes multiprofissionais. Sete unidades de CAPS Adulto (um em cada Subprefeitura), cinco unidades de CAPS Infantil, um CAPS Infantojuvenil III, seis unidades de CAPS Álcool e Drogas (AD), quatro Centros de Convivência (CECCO), três residências terapêuticas (RT) e uma Unidade de Acolhimento (UA AD).

Serviço

CAPS Infantojuvenil III
Rua Arlindo Miragaia, 40, Vila Jacuí (São Miguel Paulista).
Funcionamento - 24 horas.
Atendimento – segunda-feira a sexta-feira, das 7h às 19h.

Fonte: Cecilia Figueiredo, da assessoria de imprensa Coordenadoria Regional de Saúde Leste

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais