Gestão Haddad: Capital recebe primeiras salas públicas de cinema

Compartilhar

 

Pessoas que moram na periferia, mas que nunca foram ao cinema, seja pela distância ou mesmo pelo gasto com transporte e a entrada, passam a ter outra realidade. A partir desta quarta-feira (30), São Paulo passa a ter as duas primeiras salas públicas de cinema implantadas nos Centros Educacionais Unificados (CEUs) Butantã e Meninos. A ação faz parte do Circuito Spcine, que entregará até o fim de maio outras 18 novas salas montadas com equipamentos de alta tecnologia, espalhadas por todas as regiões da cidade. Nos CEUs, a entrada será gratuita.

A escolha das salas atendeu prioritariamente regiões que atualmente não são atendidas pelo circuito comercial de cinema. “Estas salas irão complementar o circuito comercial, mas elas são muito importantes, por ser um circuito alternativo e público e de fácil acesso. Aqui a gente não vai precisar pegar ônibus e pagar o ingresso para assistir a uma boa programação”, afirmou o prefeito Fernando Haddad.

Um estudo da JLeiva apontou que, na média de toda a cidade, 10% dos paulistanos nunca foram a uma sala de cinema. Nas classes D e E, esse número sobe para 30%. “A cultura é fundamental para enfrentar todos os desafios que o povo brasileiro tem pela frente, para estimular a convivência e de aceitação do outro para a construção de uma sociedade democrática”, disse o ministro de Estado da Cultura, Juca Ferreira.

Com a instalação completa das salas, a programação contará com 200 sessões semanais, onde são esperados 960 mil espectadores por ano. “Com estas salas nós também daremos oportunidade para produções, que muitas vezes não conseguiram chegar às grandes salas de cinema”, disse o secretário municipal de Cultura, Nabil Bonduki.

Das 20 salas do projeto, 15 serão em CEUs, sendo cinco na zona leste, cinco na zona sul, quatro na zona norte e um na região oeste. “O cinema envolve várias artes. Vai ser fascinante a gente ver o aprendizado dos alunos, dos professores, das famílias. Aqui também serão realizados debates com os jovens, conversas, assim que a gente faz educação. A educação precisa se dinamizar cada vez mais”, afirmou o secretário municipal de Educação, Gabriel Chalita.

As outras cinco salas ficam em equipamentos culturais como a Galeria Olido, no centro, duas no Centro Cultural São Paulo (CCSP), na Vergueiro, uma no Centro de Formação Cultural de Cidade Tiradentes e mais uma na Biblioteca Roberto Santos, no Ipiranga. Nesses locais, as salas integram o sistema oficial de exibição, cadastrados pela Ancine (Agência Nacional do Cinema), contabilizando a bilheteria e a renda dos filmes. Por este motivo os ingressos irão variar entre R$ 3 e R$ 8.

“Estas 20 salas que estão sendo abertas em São Paulo, espalhadas pelas regiões que não são atendidas pelas grandes redes, são fundamentais para que o cinema brasileiro chegue aos brasileiros, de uma maneira facilitada”, disse o diretor-presidente da Ancine, Manoel Rangel.

Tecnologia
Para não deixar a desejar, a SPCine focou as atenções na criação de cinema de ponta, aproveitando espaços pré-existentes, com investimentos de R$ 14 milhões em equipamentos de projeção, operação e programação.


“O cinema faz parte da formação da cidadania. Todos têm o direito de ir ao cinema e é este o esforço que estamos fazendo aqui para viabilizar o acesso mais universal possível ao cinema”, afirmou o diretor-presidente da SPCine, Alfredo Manevy.

As 20 salas de cinema que serão inauguradas contarão com equipamentos de projeção digital Christie 2D/2K, capacidade de fluxo luminoso de 10 mil lumens e sistema de som Dolby 5.1.

Programação
Nesta tarde, a sessão do filme “O Escaravelho do Diabo” abriu a sala instalada no CEU Meninos, no Sacomã. Já no início da noite, o filme “Mundo Cão”, dirigido pelo cineasta Marcos Jorge e estrelado por Lázaro Ramos, Babu Santana e Adriana Esteves, foi exibido no CEU Butantã, mesma região em que algumas cenas foram gravadas.


“Isso tudo aqui é um ritual muito importante que o nosso país está precisando. Eu espero que a Prefeitura de São Paulo sirva de exemplo para muitas prefeituras aqui do Brasil, porque aqui a formação de plateia é fundamental”, disse o ator Babu Santana.

Toda a rede contará com um pacote variado de filmes, com estreias internacionais, produções históricas e recentes da cinematografia brasileira, incluindo filmes para o público infantil. “O cinema está muito presente para todos nós, ele muda a nossa vida, nos transforma e por isso é muito importante que todos tenham acesso”, disse a primeira dama e coordenadora do programa São Paulo Carinhosa, Ana Estela Haddad.

Além dos filmes exibidos no dia de hoje, também estão previstos “Snoopy e Charlie Brown – Peanuts o filme”, “Batman vs Superman: A origem da justiça” e o vencedor de três estatuetas do Oscar, “O Regresso”.

A programação contará também com mostras e festivais apoiados pela SPCine, como o “É Tudo Verdade”, “Mostra Internacional de Cinema” e o “Festival de Curtas”.

Nos CEUs, as sessões serão às quintas, domingos e quartas, seguindo a lógica do mercado de exibição que renova as estreias sempre no quinto dia da semana. Os outros equipamentos culturais seguirão a mesma estratégia, mudando apenas a quantidade de sessões. Clique aqui e confira os locais das salas que serão implantadas pelo circuito.

Fonte: Prefeitura de SP - Secom

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais