“Fora Temer” marca a Virada Cultural de São Paulo

Compartilhar

 

Na festa cultural mais democrática da capital paulista, população e artistas mostram repúdio ao presidente golpista Michel Temer

 
 


Além de muita música e cultura, a Virada Cultural, em São Paulo, também foi marcada na edição deste ano por protestos contra o presidente golpista Michel Temer. O evento foi descentralizado e ocorreu em diversos bairros da capital.

Líder do Racionais MCs, Mano Brown se apresentou no bairro Jardim Helena e criticou o fato de haver um presidente não eleito pelo voto popular. “Por enquanto vocês vão ter que conviver com um governo de ladrões. Tomamos um golpe e seu voto não valeu nada”, afirmou, ao microfone.



A cantora Elza Soares fez, no palco São João, no centro de São Paulo, um dos shows mais concorridos do evento. Bastou a cantora dizer “fora quem não presta” para o povo, em uníssono, clamar: “Fora Temer! Fora Temer!”.

O conjunto Bexiga 70 também repudiou o governo ilegítimo de Temer e projetou, no palco, mensagens de apoio à democracia. O público fez coro e exigiu a saída do golpista.

Já os integrantes da banda Detonautas Roque Clube estenderam uma faixa em que se lia: “Temer Jamais”, para delírio de boa parte dos espectadores.

O rapper Emicida disse não aceitar que um presidente do Brasil ganhe no tapetão. “Quer ser presidente do Brasil? Faz campanha, recebe voto e aí você chega lá”. Já Criolo, por sua vez, fez uma intervenção no palco no qual surgiu uma mensagem em letras grandes: “Temer jamais”.



Na apresentação dos blocos Tarado Ni Você e Pau Brasil, os prédios no entorno receberam projeções, com frases como “Jamais Temer!” e “Mídia omite, o povo grita”. Um grupo de ativistas imprimiu, para quem quisesse, a frase “Fora Temer” em camisetas. O povo também demonstrou seu descontentamento político para uma equipe de reportagem da TV Globo.

Com duas vocalistas transsexuais, a banda As Bahias e a Cozinha Mineira vestiu a camisa, literalmente, para protestar contra Temer. No palco, os integrantes usaram uma camiseta contra o presidente ilegítimo. A vocalista Raquel Virgínia reclamou, em tom de deboche: “O Temer me prejudica até nisso: tenho que colocar camisa longa”.

Fonte: Agência PT de Notícias

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais