Unidade e mobilização permanente foram destaques da reunião ampliada do DM

Compartilhar

 

A militância do PT da capital marcou presença na reunião ampliada que aconteceu nesta terça-feira (24/05) no auditório do Sindicato dos Químicos na Liberdade. Com presença do presidente nacional do PT Rui Falcão e do presidente estadual da CUT-SP Douglas Izzo, a reunião destacou a necessidade de unidade do partido e da mobilização permanente contra o golpe e o governo ilegítimo do Michel Temer.

Rui Falcão destacou que o governo Temer em pouco tempo já demonstrou o retrocesso que ele representa com a retirada do ministério da Cultura, das Mulheres, do Combate ao Racismo e dos Direitos Humanos. “A elite brasileira não suporta por muito tempo o crescimento da classe trabalhadora, estamos vivenciando um golpe, no passado fizeram o golpe militar, agora estão fazendo o golpe constitucional”, afirmou Falcão.

 O presidente Nacional do PT frisou que a mobilização social pode reverter o resultado da votação do processo de impeachment no Senado, previsto para votação no dia 20 de setembro, embora segundo ele a oposição esteja querendo adiantar o dia da votação. Sobre as questões que o PT deveria ter enfrentado, Rui Falcão falou sobre a questão tributária; a reforma política e a democratização dos meios de comunicação. De acordo com ele, a oposição aproveitou o sentimento popular contra a corrupção e utilizou a operação Lava Jato para criminalizar o PT.

Rui Falcão ressaltou que “Se há algo que, pode se dizer, nos ajudou com esse golpe, foi que o PT retomou o caminho das ruas. Neste ano teremos que fazer campanha para prefeitura e lutar contra o golpe”. Sobre o financiamento de campanha reafirmou que é preciso começar a arrecadação para financiamento. A legislação permite começar a arrecadar desde agora.

O presidente da CUT-SP Douglas Izzo afirmou que a CUT tem sido clara no seu posicionamento de não dialogar com governo golpista do Temer e que vai continuar as mobilizações, Douglas também chamou para o grande ato #ForaTemer marcado para o dia 10 de maio e pediu engajamento na mobilização do evento.

De acordo com Izzo, temos condições de colocar os pingos nos iiis e construir a vitória, mesmo com todas dificuldades. “Existem erros internos no partido, mas estamos sendo atacados pelo que acertamos. É preciso ter clareza quanto a essas questões. O centro do debate é a necessidade de defender nossos legados. Não fizemos o debate sobre o que representou a política do PT para o povo pobre”, afirmou o presidente da CUT-SP.

O presidente do Diretório Municipal do PT-SP Paulo Fiorilo apresentou os encaminhamentos da plenária: fortalecer os comitês de luta contra o golpe nas regiões, foi aprovado uma moção de apoio ao ex tesoureiro do PT João Vaccari Neto, continuar a fazer as caravanas,  fazer mutirões e panfletagens; participar, mobilizar e divulgar os atos #ForaTemer em defesa da democracia e da construção de uma greve geral.

Além do presidente do Diretório Municipal Paulo Fiorilo, do presidente nacional do PT Rui Falcão, e do presidente da CUT- São Paulo Douglas Izzo, compuseram a mesa a secretária de Combate ao Racismo Cátia Silva, que coordenou a mesa  e a secretária de Formação do PT Vera Machado.

Últimos artigos

Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais
Rui Falcão: As alternativas do PT para a Previdência
segunda, 13 março 2017, 19:03
  Em meio às manifestações contra o desmonte da Previdência (e foi notável a reação das mulheres no 8 de março, dia de luta também contra o conservadorismo e a violência), abre-se agora o debate sobre qual a melhor tática... Leia Mais