Em São Paulo, motoristas que estacionam em vagas rotativas da cidade têm duas opções para pagar a taxa: o boleto de papel ou o aplicativos da Zona Azul. O novo sistema é mais fácil para cidadãos e para a fiscalização da prefeitura, analisa o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT). A expectativa é que a maior parte dos usuários migre para a opção digital.

“Quem baixou o aplicativo nunca mais volta para o papel, e quando mundo já tiver migrado, não vai precisar de tanta gente (para fiscalizar) e vai ter uma fiscalização muito melhor”, afirmou o prefeito nesta terça-feira (12), um dia após o início do funcionamento da Zona Azul Digital.

São Paulo possui 40 mil vagas rotativas. O preço da Zona Azul permanece o mesmo, de R$ 5 por período, que pode ser de 30 minutos a quatro horas, pois o tempo varia de acordo com a localização. Também há a possibilidade de comprar um pacote de créditos com desconto: 10 cartões digitais custam R$ 45.

O monitoramento é feito de maneira remota. “Já sabe quais carros estão vencendo e evita muita mão de obra. É justamente para facilitar, usar a inteligência em vez de contratar fiscais”, explicou.

O agente digita a placa do veículo e é informado se houve a ativação de crédito para aquela placa, inclusive por qual período. Se eventualmente o agente não conseguir contato com o sistema, ele deve ligar para o número 1188 e verificar a situação de estacionamento dos veículos.

Segundo Haddad, deve acontecer uma migração gradual e não se pode exigir a solução do problema com somente dois dias de vigência do novo sistema. “A partir do momento em que o papel vai sumindo e dando lugar ao digital, ontem, bateu 2,5% dos cartões da cidade, no primeiro dia, é muita coisa porque as pessoas ainda têm estoque de cartão, tem cartão no carro e vão gastar o papel primeiro”.

Uma das vantagens de usar os aplicativos é acabar com um mercado paralelo de venda dos bilhetes por valores acima da tabela oficial.

O pagamento só pode ser feito com cartão de crédito, mas a prefeitura planeja implantar a compra dos créditos digitais em pontos de venda, como bancas de jornal.

Para utilizar a Zona Azul Digital, é preciso baixar um dos 3 aplicativos aprovados pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET): Estacionamento Eletrônico e Digipare, que são compatíveis com o sistema Android; ou o Vaga Inteligente (Android e iOS).

Nos aplicativos, é necessário fazer um cadastro com login (CPF/CNPJ), senha, dados cadastrais e placa do veículo. O mesmo usuário pode realizar o cadastro de várias placas.

Fonte: Agência PT de Notícias