“O certo é encontrar a harmonia entre quem precisa de casa e quem quer preservar o meio ambiente”, diz Fernando Haddad durante visita à ocupação Nova Palestina (zona sul), que terá moradia e parque público

Compartilhar

 

 

O prefeito de São Paulo e candidato à reeleição também participou, neste domingo, do lançamento da candidatura do vereador Vavá do Transporte, na zona leste da cidade, e visitou o Jardim Piratininga

 

São Paulo, 28 de agosto de 2016 – “A preservação do meio ambiente tem que estar associada à moradia. A melhor forma de preservar as áreas verdes é ajudando a população carente do entorno. É um erro dos nossos adversários colocar os ambientalistas contra o movimento popular. O certo é a harmonia entre quem precisa de casa e quem quer preservar o meio ambiente”. A declaração do prefeito de São Paulo e candidato à reeleição, Fernando Haddad (PT / PCdoB / Pros / PDT / PR), foi feita durante sua visita, neste domingo, à ocupação Vila Nova Palestina, na zona sul da cidade.

 

Na ocasião, Haddad destacou que a área, ocupada há pouco mais de três anos, vai ganhar três mil novas moradias populares, medida que deve beneficiar cerca de 12 mil pessoas. A Vila Nova Palestina encontra-se em uma área de 1 milhão de metros quadrados. Desse total, 300 mil metros quadrados serão destinados às unidades habitacionais e prédios públicos, como creches, CEU e unidade básica de saúde. E os outros 700 mil metros quadrados serão transformados em um parque público para a região. “Nós não separamos o meio ambiente da moradia. Tem gente que é oposição e só pensa em moradia. Tem gente que só pensa em meio ambiente. Mas moradia é saneamento básico, é urbanização, não é só tijolo e telhado, é cidade. Aqueles que têm visão atrasada é que querem só preservar o meio ambiente”, destacou Haddad.

 

Ele lembrou que a Prefeitura também comprou recentemente uma outra área na avenida do Servidor Público, ao lado da represa de Guarapiranga, após ambientalistas questionarem a utilização do terreno na Vila Nova Palestina. “Muitos ambientalistas reclamaram dos 300 mil metros quadrados para moradia. Para resolver esse problema, nós compramos um clube náutico do mesmo tamanho para entregar para a cidade. É uma área privada, que compramos e vamos entregar à população”, completou Haddad. O parque terá quadras, campo de futebol e 93 churrasqueiras.

 

Ainda no tema habitação, o candidato falou que irá atuar com locação social no centro da cidade. Desta forma, a região poderá envolver todo tipo de classe social e não tirar do Centro a população com menor poder aquisitivo. “Na locação social, a pessoa paga R$ 100 ou R$ 150 para morar e não vende o apartamento para fazer o que chamamos de gentrificar. Quem tem mais dinheiro compra e expulsa a pessoa de baixa renda do centro da cidade, e fica somente gente de classe média e classe alta. Queremos todas as classes morando no Centro, porque é onde tem mais emprego. A pessoa paga um valor simbólico de aluguel, mas vive a vida inteira perto das oportunidades de emprego”, disse.

 

Haddad: “Nós encontramos o caminho para a saúde”

O candidato Fernando Haddad também participou, neste domingo, do lançamento da candidatura do vereador Vavá do Transporte, na zona leste da cidade, e destacou que na sua gestão foram abertas 33 unidades da Rede Hora Certa e três UPAs (Unidades de Pronto Atendimento), sendo que outras 12 unidades estão em obras. “A saúde tem rumo e é com a Rede Hora Certa e UPA. A Rede Hora Certa diminui o tempo de espera de consultas, cirurgias e exames, e a UPA melhora a qualidade do atendimento de urgência. Nós encontramos o caminho. Se pararem os investimentos, a saúde não vai melhorar. Os outros candidatos estão criticando o que é a solução de médio prazo”, disse.

 

Ao lado do candidato a vereador Vavá do Transporte, Haddad destacou como a mobilidade urbana também foi prioridade na sua administração e conseguiu diminuir o tempo de viagem de trabalhadores, estudantes e cidadãos em geral. “Tem gente que não prioriza o transporte público e isso tem que ser prioridade no governo. Fizemos 400 quilômetros de faixa de ônibus, bilhete único mensal, passe livre para o estudante e para pessoas com mais de 60 anos. Antes, não tinha ônibus à noite na cidade de São Paulo. Hoje tem 150 linhas para o trabalhador, o garçom, o vigia, o enfermeiro e quem mais precisar poder chegar em casa e não ter que esperar o dia amanhecer. Nós não estamos pedindo um voto de confiança no gogó. Estamos pedindo um voto de confiança com base em um trabalho que foi feito”.

 

Em seu discurso, o candidato falou das ações de combate à corrupção na sua administração e destacou que a honestidade é um princípio elementar e não deveria ser alardeada como uma virtude de poucos:

“Ser honesto é uma obrigação. Não é algo para bater no peito e dizer ‘sou honesto’. A pessoa verdadeiramente honesta nem comenta esse tipo de coisa. Quem teve educação em casa não fica achando que é vantagem, mas que isso é obrigação”.

 

Haddad completou dizendo que “nós fizemos uma coisa que é diferente. Nós criamos uma secretaria de combate à corrupção que já recuperou R$ 600 milhões desviados de governos anteriores. Isso faz a diferença. Quem não lembra do dinheiro desviado da Água Espraiada? Nós já recuperamos R$ 145 milhões. A máfia do ISS, já recuperamos quase R$ 500 milhões. Isso envolve tomada de decisão para recuperar o dinheiro que tomaram da cidade. Nós carimbamos esse dinheiro para construir creches. Apesar da crise, esse governo foi o que mais investiu na cidade de São Paulo, foram R$ 17 bilhões”, completou Haddad.

 

O candidato também esteve neste domingo no Jardim Piratininga, na zona leste da cidade. Haddad conversou com comerciantes e moradores da região e falou sobre os projetos da Prefeitura para promover a regularização fundiária na região.

 

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais