Gestão Haddad cria primeiro Conselho Municipal de Políticas para as Mulheres da cidade de São Paulo

Compartilhar

 

denise motta dau

A apuração do primeiro Conselho Municipal de Políticas para as Mulheres está sendo realizada na Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres pela Comissão Eleitoral, com fiscalização das candidatas e representantes da sociedade civil. O resultado será divulgado em até cinco dias e a posse das mulheres e entidade eleitas está marcada para 13 de dezembro. A eleição ocorreu em 4 de dezembro de 2016, e mulheres de todas as regiões compareceram em uma das 16 Subprefeituras da cidade para votar em uma entidade feminista, uma entidade mista e uma mulher representante de sua região.

 

“O Conselho Municipal de Políticas para as Mulheres faz parte do Programa de Metas do Prefeito Fernando Haddad e foi decretado pelo Prefeito em dezembro de 2015”, afirmou a secretária da SMPM, Denise Motta Dau. “Durante todo o ano de 2016, a SMPM preparou a eleição do Conselho, com a participação dos Fóruns Regionais de Políticas para as Mulheres, também implementados pela SMPM. Vamos concluir a gestão com um Conselho inédito, deliberativo, consultivo e paritário entre a sociedade civil e o Poder Público.”

 

O Conselho será composto por 50 mulheres: 25 da sociedade civil eleitas por voto direto, sendo 15 entidades feministas e mistas e 10 mulheres das cinco regiões da cidade: 2 da norte; 3 da sul; 3  da leste; 1 da oeste; e 1  do centro, e 25 representantes das diferentes áreas da Prefeitura. 

 

Ana Estela Haddad, coordenadora do Programa São Paulo Carinhosa e primeira-dama,  destacou a importância do Conselho para que as metas e ações do Plano Municipal de Políticas para as Mulheres, que será lançado pela SMPM em 13 de dezembro, sejam executadas. “O Conselho, por meio da representação das entidades e das mulheres eleitas, irá ajudar a fortalecer e garantir que a futura gestão efetive e cumpra as diretrizes que foram estabelecidas com a participação e desejo das mulheres paulistanas”, destacou Ana Estela Haddad.

 

A vice-prefeita Nádia Campeão votou na Subprefeitura da Sé e ressaltou: "A Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres, criada em janeiro de 2013 pela gestão do Prefeito Fernando Haddad, consolidou uma série de avanços nas políticas públicas para as mulheres e o Conselho terá agora o importante papel de acompanhar, fiscalizar e também propor novas políticas que façam com que a luta pelos direitos das mulheres continuem na cidade São Paulo".

 

Ao eleger o Conselho Municipal de Políticas para as Mulheres, a SMPM valoriza a participação e o controle social das mulheres da sociedade civil e, com isso, consolida um instrumento de promoção de continuidade das políticas públicas construídas nesta gestão, importantíssimas para as munícipes de São Paulo.

 

Fonte: Assesoria Secretaria Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais