Um 1º de Maio para se comemorar

Compartilhar

O trabalhador brasileiro pode comprar mais, pode comer melhor e pode alcançar seus sonhos com muito mais facilidade. O direito à moradia também vem sendo assegurado para toda a sociedade.

Como poucas vezes na história do país, os trabalhadores realmente têm o que comemorar neste 1º de Maio. Pela primeira vez, também, a data ocorre em um momento único, em que o Brasil é governado por uma mulher.

Nosso país vive um dos períodos mais importantes de sua história, com crescimento social e econômico e distribuição de renda, nunca antes vistos em nenhum outro governo de nossa República. Este ciclo foi iniciado com o ex-presidente Lula e tem continuidade agora com a presidenta Dilma Rousseff. 

Na mesma direção, nunca antes as condições de emprego e as relações trabalhistas avançaram tanto no país. Hoje, o trabalhador tem um salário mínimo superior a 340 dólares e tem poder de consumo.

O trabalhador brasileiro pode comprar mais, pode comer melhor e pode alcançar seus sonhos com muito mais facilidade. O direito à moradia também vem sendo assegurado para toda a sociedade.

Segundo dados do Ministério do Trabalho e Emprego, o mercado formal de trabalho criou mais de 2,5 milhões de vagas com carteira assinada em 2010. Esse foi o melhor resultado na série histórica do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), iniciada em 1992, e a primeira vez que o saldo superou 2 milhões.

Nos oito anos do governo Lula, o saldo chegou a mais de 11 milhões de empregos com carteira assinada. Só para termos uma base de comparação, nos últimos oito anos do governo anterior, o de FHC, esse número não passou de 800 mil. Uma diferença exorbitante!

E os avanços não param por ai. O ministro Carlos Lupi projeta novo recorde para este ano de 2011. Ele estima que serão abertos 3 milhões de novos postos de trabalho. Isso porque o Brasil não para de se desenvolver. O mercado cresce e novos campos de trabalho se abrem a cada dia.

Os projetos do governo do PT, como o PAC e o Minha Casa Minha Vida, contribuem para esse grande avanço. E não podemos nos esquecer que as Olimpíadas e a Copa do Mundo vão continuar acelerando, nos próximos anos, a abertura de postos de trabalho.

O Brasil está em franco crescimento, mas não é só isso. Com a consolidação das relações trabalhistas, a distribuição de renda e a ampliação da participação popular em todos os níveis de decisão, o trabalhador deixou de ser apenas mais um coadjuvante na história do Brasil. Hoje ele é o protagonista nessas conquistas de toda a sociedade.

É por esse fortalecimento, conquistado no governo do PT, que o trabalhador tem muitas razões para comemorar o seu dia neste ano.


Antonio Mentor é deputado estadual pelo PT

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais