Ensaio sobre 1° congresso dos Zonais

Compartilhar
Em abril deste mês, o PT realizou seu primeiro Congresso de Diretórios Zonais da cidade de São Paulo. Não sou Brasileiro, e tinha assistido o Congresso só para observar; para perceber, por um instante, como o PT de hoje funciona internamente, e em particular, para ver que papel a militância joga dentro do PT em 2010.
 
Sou doutorando em ciência política nos EEUU, e especializo-me nos novos grandes partidos de esquerda na América Latina. A grande maioria dos acadêmicos atuais que escrevem sobre o PT enfatiza as mudanças que o partido experimentou durante os últimos quinze anos, especialmente desde a vitória do Lula em 2002: a moderação da política econômica, as alianças com partidos e atores da direita, o enfraquecimento da democracia interna, etc.
 
É inegável que o PT já mudou bastante desde os anos 80; agora, categoricamente rejeita a doutrina econômica marxista, está mais disposto a entrar em alianças expedientes com partidos conservadores (por ex. o PL), e é altamente profissionalizado. Atualmente, ouvi-se que o PT já é como qualquer outro partido brasileiro. Porém, o I Congresso dos Diretórios Zonais mostrou que o PT ainda sobressai no contexto partidário brasileiro. O primeiro dia do Congresso foi como qualquer comício político: os dirigentes partidários e os candidatos falaram, e os militantes e simpatizantes escutaram, aplaudiram, e até dançaram.
 
Mas os próximos dois dias deixaram claro que o PT continua sendo a partido mais participativo e internamente democrático no Brasil. Por dois dias inteiros, centenas de militantes petistas, um grande número deles voluntários, se reuniram para debater várias questões, apresentar as suas opiniões frente ao plenário, e votar. Nenhum dos principais partidos brasileiros conta com uma militância tão envolvida na construção das estratégias e das políticas partidárias. Espero que tais eventos continuem dentro do PT, e que tornem-se mais comuns dentro de outros partidos brasileiros. Disso o aprofundamento da democracia depende.
 
 
 
Brandon 

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais