Por Chico Macena: Uniceu e a educação como base para uma cidadania plena

Compartilhar

 

A Prefeitura de São Paulo implantou o programa UNICEU, com a criação de 32 pólos nos CEUs levando as melhores universidades públicas do país para os bairros mais distantes de São Paulo. São cursos de graduação e pós-graduação para toda a população e que também vão atender os funcionários públicos, especialmente os professores.

A implementação da UNICEU, que já conta com 5.057 alunos matriculados, é mais uma revolução na educação e na ocupação dos espaços públicos da cidade, pois utiliza o equipamento justamente no período em que estão mais ociosos: à noite e aos sábados.

Além de levar oportunidade para quem mais precisa, o programa também valoriza a periferia, que agora vê os CEUs, já consierados referências educacionais, sendo transformados também em universidades. Estes territórios, por vezes, esquecidos, agora não apenas são valorizados como são a base de um novo processo de transformação que se inicia na cidade e, que mais uma vez, começa com a educação.

Soma-se a este esforço a melhoria da qualidade da educação básica, com reformas na educação, aperfeiçoando o sistema de avaliação e acompanhamento dos alunos com o fim da “aprovação automática” que não tinha relação com a progressão continuada. Quando disputamos as eleições, uma das mais constantes reclamações de pais e mães na área educacional era de que seus filhos aprendiam pouco na escola e mesmo assim passavam de ano automaticamente. Menos que a reprovação, o mais importante para esta gestão sempre foi o reforço para com os alunos que apresentam maior dificuldade. Por isso, nosso foco sempre foi e vai ser a melhoria da qualidade do ensino e principalmente dos alunos. Hoje, temos 72 mil alunos em tempo integral nas escolas e estamos buscando programas e formas para que este número seja ampliado.

Apesar dos poucos recursos e da crise financeira que atinge a Prefeitura, estamos investindo em novos equipamentos, 33 novas creches foram entregues neste período, temos 36 em obras e 11 para iniciar ainda em 2015, o que certamente não será suficiente para acabar com toda a fila, mas estamos desenvolvendo um amplo programa de parceria, não só para a construção de novos equipamentos, mas para estabelecermos novos convênios. Também foram entregues 26 EMEIs e outras 13 estão em obras.

Depois de muito trabalho conseguimos finalizar a licitação dos 8 primeiros novos CEUs de um total de 20, o restante está em fase de licitação. Em permanente diálogo com as entidades representantes dos professores, iniciamos um processo de recuperação dos seus salários. Já reajustamos os mesmos em 15,38%, elevando o piso salarial para R$ 3.000,00, que passou a ser o maior do Brasil para essa importante categoria profissional.

É inquestionável que a educação vem passando por grandes transformações no país. Muito aquém das necessidades, é verdade, mas com avanços indiscutíveis que nestes últimos 10 anos procuramos recuperar décadas de abandono e atraso, com a criação do ProUni, que incluiu mais de 1,4 milhão de alunos na universidade, e com o Pronatec que matriculou 8 milhões de pessoas.  

O Prefeito Fernando Haddad participou da implantação destes programas no governo Lula e no governo Dilma e a Prefeitura de São Paulo quer dar um passo adiante: garantir o acesso a quem mais precisa com a ampliação de oferta de vagas, mas, sobretudo, buscar uma maior qualidade da educação especialmente para os níveis básico e fundamental, que são essenciais para solidificar o desenvolvimento do país, construir valores de solidariedade mais progressistas e, sobretudo, a construção de uma nova cidade com políticas mais perenes, ou seja, políticas de estado.

Sabemos que a educação é estratégica, requer políticas de médio e longo prazo, mas queremos também mudanças que já comecem a transformar a vida dos alunos de hoje, das pessoas e dos moradores de toda a cidade, inclusive da periferia.

Agora, sabemos que uma tarefa desta magnitude só é possível com o envolvimento de todos, pais, alunos, professores e principalmente dos moradores da cidade.  É por isso que já começamos a abrir estes equipamentos e o debate com a comunidade, para que assumam conosco essa tarefa, na cobrança, na fiscalização, na preservação e na construção de políticas públicas, para uma cidadania plena.

(*) Chico Macena, de 52 anos, é administrador e Secretário do Governo do Município de São Paulo

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais