Por Altamiro Borges: Mais grana pública para o “aecioporto”

Compartilhar

 

Construído na fazenda do seu tio-avô em Cláudio, no interior de Minas Gerais, quando Aécio Neves era governador, o “aecioporto” continua sugando o dinheiro público. Segundo matéria da Folha neste sábado (5), “a Justiça de Minas Gerais autorizou um parente do senador Aécio Neves (PSDB-MG) a quitar uma antiga pendência judicial sem desembolsar um centavo, graças a uma indenização que ele receberá do Estado pela desapropriação do terreno”, informa o jornalista José Marques.

Em maio deste ano, o tio-avô do cambaleante tucano, o fazendeiro Múcio Tolentino, de 90 anos, foi condenado a devolver aos cofres públicos a grana utilizada para construir uma pista de pouso em sua fazenda. Em terra batida, ela foi construída pela prefeitura de Cláudio em 1983, quando o próprio Múcio Tolentino era prefeito. A obra recebeu recursos do Estado, que na época era governado por Tancredo Neves (1910-1985), de quem o fazendeiro era cunhado.
“Como a pista ficava dentro da fazenda de Múcio, o Ministério Público entendeu que ele se apropriou de um bem público e entrou com ação civil contra ele. Por causa dessa ação, a área foi bloqueada pela Justiça e Múcio ficou impedido de vendê-la. Em 2008, o governo estadual decidiu construir um aeródromo no lugar e desapropriou a área, depositando R$ 1 milhão numa conta judicial para garantir o pagamento da indenização. A Justiça determinou que o pagamento só fosse feito após a conclusão da ação civil movida antes contra Múcio”.

“A sentença com a condenação do fazendeiro foi publicada no dia 20 de maio deste ano. Em valores atualizados, o tio-avô de Aécio terá que restituir aos cofres públicos cerca de R$ 250 mil. Em sua decisão, o juiz Jacinto Copatto Costa reconheceu a dívida como quitada, após o valor ter sido separado da indenização que o fazendeiro ainda tem a receber pela desapropriação do terreno. Se a Justiça mantiver o valor da indenização proposta pelo Estado, de R$ 1 milhão, Múcio receberá pelo menos R$ 750 mil pela área, já descontado o valor que ele foi condenado a devolver por causa da outra ação”.

Em síntese: o aeroporto de Cláudio foi construído na fazenda do tio-avô do tucano Aécio Neves com recursos do Estado – quase R$ 14 milhões. As chaves do “aecioporto”, como foi apelidado na época da denúncia, ficavam sob controle de familiares do cambaleante. Em agosto passado, o Ministério Público Estadual decidiu arquivar o caso. Agora, a Justiça de Minas Gerais – que nunca escondeu as suas intimas relações com o ex-governador – autoriza o tio-avô a quitar uma antiga pendência judicial utilizando a indenização que receberá do próprio Estado pela desapropriação do terreno.
 
Será que os tucanos são santos, protegidos por Deus, pela Justiça e pela mídia, e nunca serão punidos por nenhuma maracutaia?
 
Altamiro Borges é responsável pelo “Blog do Miro”

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais