Haddad muda rotina de SP: Avenida Paulista agora é do povo

Compartilhar

 

A rotina de São Paulo foi alterada nesse domingo (18), com o fechamento da Avenida Paulista aos automóveis e implantação do sistema que faz do mais conhecido logradouro da capital, ponto de lazer e entretenimento para a população.

A medida do prefeito Fernando Haddad (PT-SP), que vale a partir de agora para domingos e feriados, põe em prática a máxima do poeta baiano Castro Alves, que, no século 19, enunciava que “a praça (Castro Alves, centro de Salvador) é do povo”. A Avenida Paulista também.

No final de semana, a Paulista foi invadida por crianças, mães, famílias, ciclistas, caminhantes, pedestres, skatistas e pessoas sem alternativa de lazer na folga, entre as 8h e 17h, no primeiro dia de aplicação da medida.

Presente ao local de bicicleta, o secretário de Transportes, Jilmar Tato, anunciou que a ideia da prefeitura é ampliar o projeto e fechar ao trânsito, progressivamente, pelo menos uma avenida em cada uma das 32 subprefeituras da cidade de 12 milhões de habitantes.

Tatto aproveitou para dizer que foi disponibilizado um número de telefone (1188) para que os moradores possam se manifestar e permitir o aprimoramento da medida.

O dia de abertura oficial do esquema foi de adaptação de motoristas, especialmente os que buscavam o hospital Santa Catarina, ao lado da avenida.

Uma faixa da avenida, sinalizada com cones e orientação de agente de trânsito da Companhia de Engenharia de Trânsito (CET), foi especialmente isolada e destinada ao público que procurava atendimento na unidade hospitalar, dando vazão aos motoristas que conduziam pacientes ao pronto-socorro.

A ausência de carros permitiu a um grupo de mães sentarem-se em círculo no meio da avenida, onde promoveram um “mamaço” em defesa do livre direito à amamentação dos seus bebês em público.

O fechamento da avenida também deu oportunidade a simpatizantes da causa palestina, integrantes da Frente em Defesa do Povo Palestino, a promover um ato em favor do país localizado no oriente-médio. Representantes dos movimentos populares “Minha Sampa”, “Paulista aberta” e “SampaPé” também estiveram na avenida, em apoio ao fechamento.

Fonte: Márcio de Morais, da Agência PT de Notícias, com informações do portal “G1″

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais