Por Chico Macena: Mais saúde na cidade

Compartilhar

 

 

Era para ficar surpreso e até mesmo indignado ao observar a cobertura da imprensa sobre a inauguração do Hospital Municipal Vila Santa Catarina, na última sexta-feira (11/12). Mas, ao contrário disso, mais uma vez, pude constatar que a cobertura que parte da imprensa faz do governo Fernando Haddad é tendenciosa, ideológica e não respeita nem mesmo os bons manuais de jornalismo.

O título da notícia publicada no jornal O Estado de São Paulo naquela sexta-feira foi: “Com atraso, Prefeitura inaugura primeiro hospital após sete anos”. Contudo, o jornal não teve a coragem de informar que após sete anos, em que passaram outras gestões na cidade, o prefeito Fernando Haddad inaugura o primeiro hospital municipal deste período e que outros dois estão em construção, o de Parelheiros e o da Brasilândia.

A cobertura da imprensa, no entanto, mesmo secundarizando a importância do fato, reconheceu que, pela primeira vez, por meio de um convênio, o Hospital Municipal Vila Santa Catarina será administrado pelo Hospital Albert Einstein, um dos maiores centros médicos e de excelência do país.

Passados sete anos, sem que nenhum hospital municipal fosse inaugurado nesta cidade, com o Santa Catarina, o município contará com oferta de serviços em saúde para o tratamento de câncer de mama, estômago, próstata, pulmão, entre outros procedimentos.

A Prefeitura de São Paulo, sob a gestão do prefeito Fernando Haddad, continuará trabalhando, inclusive para que a população usufrua dos serviços e tome conhecimento daquilo que está sendo feito, como os 14 consultórios na rua, que ofertam tratamento odontológico e relacionado ao abuso de álcool e outras drogas, a readequação de nove hospitais e a abertura de mais de 300 leitos na rede já existente.

Após apenas três anos de governo, a cidade ganhou 14 Hospitais Dia da Rede Hora Certa, que já realizam juntos mais de 60 mil consultas e exames por mês. Outros sete já estão em fase de conclusão e em breve entrarão em funcionamento. Outros nove estão em construção e em 2016 também passarão a atender a população. Além deles, a rede de saúde está sendo expandida para atender a periferia da cidade e já foram inauguradas no âmbito deste projeto seis Unidades Básicas de Saúde Integral (UBS), 16 estão em obras e as mais de 200 unidades já foram reformadas.

A atual gestão também conseguiu trazer as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) para São Paulo. Nunca se havia construído uma única UPA na cidade, mas agora já temos duas unidades construídas, 13 em obras e mais sete unidades que serão reformadas e também atenderão 24 horas por dia.

Em apenas três anos de governo, preparamos e colocamos 800 “Jovens SUS” nas unidades de saúde para melhorar o acolhimento e atendimento na rede básica. Passamos a ofertar 456 mil cirurgias por mês, o que representa um aumento de 535 mil vagas por ano. Derrubamos os muros entre UBS e AMA unificando o processo de trabalho em 87 unidades, humanizando as unidades, o que trouxe ganho para os trabalhadores e pacientes, abertas aos sábados, permitindo que o trabalhador use os serviços sem faltar no trabalho.

Agora a cidade de São Paulo tem mais respeito à inclusão e à diversidade, com oito Unidades de Referência à Saúde do Idoso (URSI), 38 equipes de acompanhamento, dois Centros de Saúde da Pessoa com Deficiência inaugurados e a abertura de mais 15.

Abrimos concurso público para a contratação de oito mil novos médicos e mais de seis mil já ingressaram. O atraso na Saúde não foi deste governo. O Prefeito Fernando Haddad vem recuperando o tempo perdido, com investimentos como nunca houve, apesar de toda a crise financeira. Como diz o secretário de Saúde Alexandre Padilha, “é a saúde em movimento, com mais cirurgias, mais exames, menos tempo de espera, mais médicos, melhor atendimento nas unidades de saúde e mais respeito à inclusão e à diversidade”. Com mais de 20 anos de atraso, “MAIS SAÚDE NA CIDADE”.

*Chico Macena, 53 anos, é administrador e secretário do Governo do Município de São Paulo

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais