Por Paulo Fiorilo: Como aprendi a amar São Paulo

Compartilhar

 

Qual é o sonho de quem vem pra São Paulo? Essa cidade imensa, tão diversa em tantos aspectos, à primeira vista não parece nada hospitaleira, mas um monstro cinza impiedoso. Pelo menos, era o que eu achava.

De "grande vilarejo" a uma das principais cidades do continente, a Capital paulista se torna referência em ascensão social entre o final do século XIX e o início do século XX. O Eldorado brasileiro. Destino certo para quem desejava trabalhar para ter uma vida tão próspera quanto a própria cidade.

Ao longo de décadas, milhões deixaram pra trás sua história e construíram aqui seu presente. Deram o suor de seu trabalho, formaram famílias, tornaram-se paulistanos e paulistanas. Obviamente, muitos não conseguiram realizar seu sonho de prosperidade. Mas mesmo esses ajudaram a moldar a metrópole viva, cosmopolita, gigantesca e, porque não, acolhedora que é hoje.

E milhares ainda vêm. São Paulo é agora lar de haitianos, sírios e outros povos que não encontram mais esperança em seus países e conseguiram achar um porto acolhedor em nossa caótica metrópole.

E mesmo que pesquisas atuais mostrem importantes fluxos migratórios partindo daqui e do Rio de Janeiro para outras capitais e centros urbanos do país, São Paulo ainda é um importante destino para jovens brasileiros, em busca de formação e oportunidades.

No final, paulistanos somos todos, os nascidos aqui e os que adotaram a cidade para viver. E eu sou um exemplo disso. Nasci em Araraquara, no interior do Estado. Meu envolvimento com as comunidades de base da Igreja Católica me trouxe para a Capital no início da década de 80.

Dividido entre a vocação e a efervescência política do início do Partido dos Trabalhadores, escolhi o Parque São Rafael, na Zona Leste, para começar minha trajetória aqui.

Em algum ponto do caminho, quem adota São Paulo começa a ver seu lado mais carinhoso, mesmo que ainda enxergue claramente sua face inóspita, tão presente em nosso dia a dia. E foi o que aconteceu comigo.

Hoje vejo que, assim como outros migrantes que tinham o sonho de uma vida melhor, passei a conhecer bairros e suas peculiaridades, a conviver com tanta gente de tantos lugares diferentes, a frequentar locais de tamanha riqueza cultural e social, de muita história e modernidade juntas, que não há como não se apaixonar por São Paulo.

Segui o caminho da política até ser eleito vereador porque esta cidade e sua população me dão, diariamente, uma quantidade enorme de razões para amar São Paulo.

Publicidade

</div> <div id='passback-wb34bf9d327'></div>

Mas ainda há outra enorme quantidade de motivos pelos quais trabalho para ajudar a construir uma cidade melhor, especialmente, para os paulistanos e paulistanas que dão duro para fazer a vida por aqui e que precisam muito mais da atuação do poder público em seu dia a dia.

Parabéns, São Paulo!

 

Paulo Fiorilo - presidente do Diretório Municipal do PT-SP e vereador da cidade de São Paulo

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais