Serra e a demonstração de desespero

Compartilhar

 

O povo de São Paulo não quer mais um prefeito que vê a Prefeitura, com um dos maiores orçamentos da América Latina, como um trampolim político.


Por Edinho Silva
Quarta-feira, 5 de setembro de 2012

 

A posição de Serra em seu programa eleitoral nesta última segunda-feira, dia 03, demonstra o desespero que impera em sua campanha.

A falta de compromisso de Serra com o povo de São Paulo, em detrimento de suas aspirações pessoais, levou o de novo candidato a prefeito a ir às telas justificar o abandono do cargo de prefeito em 2006.

Ao tentar se explicar, sem êxito já que havia assinado um documento público que iria cumprir o mandato, o candidato do PSDB sai atacando o PT e menosprezando a inteligência da população paulistana.

Serra faz ataques inverídicos ao Partido dos Trabalhadores e à gestão de Marta Suplicy, em vez de justificar a sua "falta de palavra" ao descumprir o compromisso com o mandato de prefeito, inclusive, registrado em cartório.

O PT repudia com veemência tais declarações que tentam manipular a opinião dos cidadãos da cidade de São Paulo. A ex-prefeita e atual Senadora da República, Marta Suplicy, não só entregou a Prefeitura saneada financeiramente, com superávit orçamentário, como marcou a história da gestão dessa cidade pela sua competência, sensibilidade para resolução de problemas que se arrastavam por décadas, pela sua coragem e arrojo em implantar programas hoje referências para diversas cidades do Brasil e do mundo como o Bilhete Único e os CEUs.

O Partido dos Trabalhadores tem muito orgulho do governo realizado na cidade de São Paulo com Marta, que instituiu novos paradigmas, que provocou inclusão de milhares de famílias, que fez com que a cidade passasse a olhar para aqueles que mais precisam. E é por ter a consciência da importância dessas transformações realizadas que o PT novamente apresenta seu projeto de desenvolvimento, com inclusão social e sustentabilidade à população paulistana nessas eleições com a candidatura de Fernando Haddad.

O povo de São Paulo não quer mais um prefeito que vê a Prefeitura, com um dos maiores orçamentos da América Latina, como um trampolim político. A população quer um prefeito comprometido, que tenha propostas e iniciativas para responder aos seus principais problemas. Não é possível que a cidade mais rica da Nação conviva com tantas injustiças sociais. Não é possível que todos os anos, dezenas de vidas sejam levadas com as águas das enchentes. Não é possível viver com o caos da insegurança pública e do trânsito. São Paulo pode trilhar o mesmo caminho do desenvolvimento do Brasil de Lula e Dilma. A cidade mais rica pode ser também a mais justa. É preciso colocar São Paulo em sintonia com nosso país.

Edinho Silva - Presidente do PT do estado de São Paulo e deputado estadual

 

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais