Luiz Marinho é eleito o novo Presidente do PT Paulista

Compartilhar

Com 64,7% dos votos, o novo dirigente da legenda em São Paulo presidirá o partido até 2019

A etapa Paulista ao 6° Congresso Nacional do Partido dos Trabalhadores Marisa Leticia Lula da Silva, realizado entre os dias 5 e 7 de maio, na Quadra do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, elegeu o companheiro Luiz Marinho para a Presidência do PT-SP. 

Luiz Marinho reafirmou a posição do PT contra a mídia golpista e contra o golpe. Assumiu o compromisso de dirigir a militância do estado de São Paulo coletivamente, buscando conciliação entre as correntes. Também defendeu o combate as ideias conservadoras e a reprodução das praticas da politica tradicional. Reforçou a responsabilidade de eleger o ex-presidente Lula e ampliar as bancadas estadual e nacional, para corresponder a expectativa da militância e do povo brasileiro. “Nesse momento de excepcionalidade, é preciso que nosso partido aja como tal, para responder a expectativa não só da nossa militância, mas do povo brasileiro.” Afirma Marinho.

 

Etapa Paulista

O Congresso foi marcado por discussões intensas sobre o rumo do partido, com apresentação das teses nacionais, propostas estaduais, apresentação dos candidatos a presidência, votação de emendas e resoluções que guiarão as diretrizes da próxima direção do PT.

Para Emidio de Souza, que dirigiu o PT nos últimos quatro anos, a participação da militância foi fundamental para o sucesso da Etapa do 6º Congresso do PT. “Há muito tempo o PT não realizava um Congresso com tanta participação, não apenas de público, mas também de debate político tão intenso. Eu me sinto muito agradecido de poder encerrar o mandato com uma demonstração tão grande da força da nossa militância”. 
 
Nas teses discutidas, as principais pautas foram a conjuntura estadual e nacional, estratégia, organização partidária e reforma politica. O evento contou com 1046 delegados credenciados de toda parte do estado de São Paulo, eleitas e eleitos nos seus respectivos diretórios municipais, respeitando as cotas de mulheres, etnia e juventude.

Para o Presidente Nacional do PT, Rui Falcão, a etapa estadual mostrou a força da militância e reafirmou o compromisso do PT com a democracia. “É um congresso muito vibrante aqui em São Paulo, que mobiliza toda a militância do estado, com a aprovação de resoluções de extrema importância para o avanço da democracia interna do PT, além de ratificar a importância da reforma politica e colocar a constituinte como a necessidade imediata assim que tirarmos o governo ilegítimo do poder”, disse.

Entre as emendas, a de maior destaque foi a que propõe o fim PED, atual mecanismo de escolha das direções do partido. A emenda foi aprovada e segue para congresso nacional para aprovação final ou recusa. 

O evento também contou com a aprovação da resolução histórica de combate as violências contra a mulher, que prevê a criação de uma comissão de mulheres que apoiara as vitima de violência física e/ou psicológica dentro do partido, além de deliberar punições aos agressores. A resolução já esta aprovada para o estado de São Paulo e será encaminhada como proposta para etapa nacional.

Martinha, Secretária Estadual de Mulheres, falou sobre as expectativas com os rumos do partido, frente aos novos desafios especialmente nos casos das mulheres. “Há uma expectativa que podemos ampliar nossa articulação com todos os segmentos da direção, para que as mulheres do PT e as mulheres paulistas possam estar em mais espaços de poder, fortalecendo mais as politicas e diretos da mulher, para construir uma sociedade mais justa e igualitária, que tenha mais respeito e garanta a dignidade das mulheres”.

Delegado do Congresso, o Presidente da CUT SP - Douglas Izzo, destacou que o PT Paulista tem sido um importante parceiro das mobilizações em defesa dos direitos trabalhistas. “O Partido dos Trabalhadores tem sido um parceiro importante da CUT e da Frente Brasil Popular na luta por direitos e em defesa da democracia. E essa parceria vai continuar reforçada, com as diretrizes aprovadas incorporando o partido e a militância na luta contra as reformas do governo golpista de Michel Temer”.

Resultado:

A Esperança é Vermelha em SP: 3,7%
Construindo o Novo Brasil SP: 52,8%
Mudar o PT. Oposição pra valer: 10%
OPTEI pela reconstrução do PT: 19,8%
Primeiramente Fora Temer: 13,6%

 

Fonte:

 

 

 

 

 

 

Últimos artigos

Maurílio Araújo: Ainda podemos derrotar a reforma trabalhista!
quinta, 20 julho 2017, 20:51
    A lei no. 13.467/17, vulgo "reforma trabalhista", aprovada por um congresso composto em sua expressiva maioria por representantes patronais corruptos e sancionada por aquele que talvez seja o maior bandido golpista que já sentou ... Leia Mais
Por Antônio Donato e Paulo Fiorilo: Pacote de concessões é cheque em branco
quinta, 20 julho 2017, 20:48
  É chocante a superficialidade do artigo do secretário de Desestatização da Prefeitura de São Paulo. Wilson Poit, publicado na Folha em 5/7. Sem argumentos convincentes, o texto é pródigo em autoelogios, cheio de generalidades e... Leia Mais
Por João Bravin: Por que não formar uma Rede de Transmissão Democrática de Comunicação?
quinta, 06 julho 2017, 18:39
  Uma rede de esquerda, ampla, para contrapor à comunicação monopolizada da Rede Golpista de rádios, TVs e web. Resolvi escrever sobre um tema que é muito caro para a esquerda como um todo: a falta de comunicação com uma grande... Leia Mais
Por Nabil Bonduki: Será uma irresponsabilidade aprovar as privatizações de Doria no escuro
terça, 04 julho 2017, 19:45
  Você assinaria uma procuração para um gestor, por melhor que fosse, para vender, alugar ou conceder o patrimônio que você acumulou ao longo da vida, sem estabelecer condições, preço e destinação da receita obtida?Pois é isso... Leia Mais
Por Juliana Borges: SP, Um gestor que quer vender tudo vai gerir o que?
segunda, 03 julho 2017, 16:29
  Já na campanha eleitoral, João Dória Jr. demonstrava suas intenções de fazer da cidade de São Paulo um grande negócio. Ainda em Julho de 2016, em entrevista, o atual Prefeito defendia “uma onda de privatização de bens... Leia Mais