Por João Bravin: Por que não formar uma Rede de Transmissão Democrática de Comunicação?

Compartilhar

 

Uma rede de esquerda, ampla, para contrapor à comunicação monopolizada da Rede Golpista de rádios, TVs e web.

Resolvi escrever sobre um tema que é muito caro para a esquerda como um todo: a falta de comunicação com uma grande parcela da sociedade brasileira que não está em nossas “bolhas”, mas que acredita que este grupo de esquerda defende seus interesses.

Temos nossas mídias que dialogam com seus nichos e não está errada. Um sindicato deve conversar com sua base de trabalhadores, um parlamentar com seu eleitorado e apoiadores, uma entidade do movimento social com quem luta por suas demandas e por aí vai.

Mas qual é nosso alcance de comunicação com a sociedade quando nos limitamos ao nosso grupo principal de atuação política?

Na mídia monopolizada, por exemplo, na audiência das TVs, o Ibope aponta que nacionalmente 1 ponto equivale a 240.886 lares ou 684.202 telespectadores.

Ontem, dia 05 de julho, ocorreu a posse da nova direção Nacional do PT em Brasília. Muito provavelmente nenhum jornal, rádio ou TV da grande mídia golpista deu destaque ao evento, pois estão preocupados em quem vão colocar no lugar de Temer, de forma indireta.

Mas uma rede do PT, através do facebook, transmitiu ao vivo este ato que contou, com diplomatas de vários países da America Latina e Caribe, África e Europa, lideranças sindicais e de movimentos sociais, partidos, parlamentares, militância, Presidenta Dilma e Presidente Lula.

Esta rede formada no facebook da Fundação Perseu Abramo, do Lula, do PT Nacional, do Linha Direta, da presidenta nacional do PT e senadora Gleisi Hoffman e do senador Lindberg Farias (PT)  fez com que a transmissão chegasse ao alcance de mais de 1,5 milhões de pessoas.

Isso equivale a 2,2 pontos de audiência nas TVs, chegando próximo a audiência de alguns telejornais matutinos, tais como, o SBT Manhã com média de 3 pontos de audiência, Balanço Geral Manhã da Record com 2,3 pontos e superior ao Café com Jornal da Band, que dá 1 ponto, Jornal da Noite da Band com 0,9 e Rede TV News com 0.9 pontos de audiência.

(veja o quadro completo de telejornais ao final)

E mesmo os grandes jornais, como o JN da família Marinho, que exibiam orgulhosos no final dos anos 1990, quase 50 pontos na audiência brasileira no horário das 20h e agora não passam dos 25 pontos e sempre quando isso acontece é porque estão difamando Lula, o PT e a esquerda em geral.

Pensei: porque não formar nossas próprias redes de transmissão, de forma democrática incluindo nossas rádios como a RBA, Rádio Linha Direta, as Rádios Comunitárias, a TVT, os blogueiros de esquerda, num pool de emissoras em rádios, TVs e redes sociais progressistas para transmitir eventos importantes que discutem os rumos do país.

Se o Lula quiser falar sobre as reformas, sobre a conjuntura do país; se o Gilmar Mauro, coordenador nacional do MST, quiser falar sobre as mortes de agricultores familiares no campo; se o Haddad quiser falar sobre o desmonte das políticas públicas feito pelo “Gestor Dória” na cidade de São Paulo; se o presidente da CUT Vagner Freitas quiser convocar a população para ir às ruas, para defesa de nossos direitos, pelo Fora Temer e Diretas Já; se Raimundo Bonfim da CMP quiser falar sobre a violência da polícia de Alckmin nas ocupações que lutam por moradia digna e etc...

Por que não convocar a Rede de Transmissão Democrática de Comunicação, agregando as emissoras de rádios parceiras, a TVT, as rádios web, a blogosfera progressista e os perfis de lideranças de esquerda e institucionais no facebook?

Tenho certeza que pela conjuntura e pelo protagonismo político de nossas lideranças, a começar pela nossa liderança máxima o Presidente Lula, ultrapassaremos a casa dos 10 milhões de espectadores, se combinarmos na política essa estratégia.

O maior custo não é o financeiro, até porque as ferramentas disponíveis através das redes hoje minimizaram e muito os custos. O que precisaremos é juntar nossas lideranças nas redes, tais como o Lula, a senadora Jandira Feghali (PCdoB), o senador Lindberg Farias (PT), Guilherme Boulos (MTST), o vereador Eduardo Suplicy, a presidenta nacional do PT e senadora Gleisi Hoffmann, a Rede Jornalistas Livres, a CUT (Central Única dos Trabalhadores), a CTB (Central dos Trabalhadores do Brasil), o MST (Movimento dos Trabalhadores Sem Terras), a CMP (Central de Movimentos Populares), o MTST (Movimentos dos Trabalhadores Sem Tetos) e os partidos de esquerda para construir essa rede.

O nosso tempo é curto para derrubar o golpe, antes que ele se consolide com outro projeto de país que não é para a população mais pobre e para classe trabalhadora.

A forma mais efetiva da comunicação chegar até a população é a esquerda se juntar numa Rede de Transmissão Democrática de Comunicação e trazer o povo que acredita em uma sociedade inclusiva, soberana e igual para todos e todas para seu lado.

Devemos ousar e usar nossas ferramentas para chegar à população fora de nossas bolhas e, assim, quem sabe teremos as condições para a chamada convulsão social.

Liberdade de comunicação e união das esquerdas. Até a vitória sempre!

 

João Bravin

 

(Atualmente membro do Diretório Municipal do PT de São Paulo e assessor da CUT Nacional, foi Secretário de Comunicação do PT da Capital de 2013 à 2017)

 

Veja o Ranking de audiência dos telejornais de todas as emissoras:

(Fonte Emissoras/Dados maio de 2017)

Jornal Nacional (Globo) 25

SPTV 2ª Ed. (Globo) 22.4

Jornal Hoje (Globo) 8.9

SPTV 1ª Ed. (Globo) 8.8

Jornal da Record (Record) 8.4

Jornal da Globo (Globo) 8.4

Bom Dia Brasil (Globo) 7.6

Cidade Alerta (Record) 7.5

Bom Dia SP (Globo) 6.3

Balanço Geral (Record) 5.9

São Paulo no Ar (Record) 5

Fala Brasil (Record) 4.4

Jornal do SBT (SBT) 4.1

SBT Brasil (SBT) 4.1

Brasil Urgente (Band) 3.7

Jornal da Band (Band) 3.1

 SBT Manhã (SBT) 3

Balanço Geral SP Manhã (Record) 2.7

Jornal da Noite (Band) 1.9

RedeTV! News (RedeTV!) 1.2

Primeiro Jornal (Band) 0.7

Últimos artigos

Gleisi Hoffmann: A História que se repete
segunda, 18 setembro 2017, 18:14
A perseguição a Lula e a Dilma não é um fato isolado na História de nosso país. Os ex-presidentes Getúlio Vargas, Juscelino Kubitschek e João Goulart também tiveram suas vidas devassadas pelos adversários políticos e pela... Leia Mais
Por Nabil Bonduki - As flechadas de Temer atingem as terras indígenas
terça, 05 setembro 2017, 19:36
    Manter Temer na Presidência custa caro à nação. Para sobreviver às flechadas de Janot, o governo atende a lobbies fortes no Congresso, como ruralistas, mineradoras e grileiros. Interesses que ameaçam o ambiente e os povos... Leia Mais
Por Chico Macena: O desmonte das políticas públicas e a disputa de valores
sexta, 01 setembro 2017, 16:51
  Durante a gestão do PT, com o Prefeito Fernando Haddad, à frente da Prefeitura de São Paulo, publiquei uma série de 35 artigos falando das políticas públicas que estávamos desenvolvendo para a cidade. Recentemente, fiz uma... Leia Mais
Por Debora Pereira: Os desafios do PT a partir da organização setorial
terça, 22 agosto 2017, 15:51
  Em artigo, a pesquisadora do Programa de Mestrado em Mudança Social e Participação Política da USP fala sobre a importância dos setoriais PT-PE   O Partido dos Trabalhadores surgiu como expressão da classe trabalhadora e como... Leia Mais
Por Alexandre Padilha: Doria e Alckmin fazem gestão insana em SP
terça, 15 agosto 2017, 19:27
    Ex-ministro da Saúde escreveu artigo para revista Fórum sobre ação criminosa que dupla tucana fez na Cracolândia, em São Paulo   Eduardo Ogata / SECOM Ação truculenta na região da Cracolândia, centro de São Paulo Nesta... Leia Mais